Analytics

menu

Image Map

quarta-feira, 24 de maio de 2017

PF grava Reinaldo Azevedo falando mal da Veja com irmã de Aécio; jornalista pediu demissão

Foto: Divulgação | Veja
O jornalista Reinaldo Azevedo, que era titular de um dos blogs mais lidos no site da revista Veja, foi flagrado em conversas com a irmã do senador Aécio Neves (PSDB-MG), Andrea Neves, grampeadas pela Polícia Federal, com autorização da Justiça. De acordo com site BuzzFeed, após a publicação da reportagem sobre o assunto, Azevedo anunciou sua demissão da Veja.

A PF, entretanto, não constatou indícios de crimes nas conversas entre os dois. Mesmo assim, as gravações foram anexadas pela Procuradoria-Geral da República ao conjunto de áudios anexados ao inquérito que provocou o afastamento de Aécio e a prisão da irmã.

A primeira gravação, feita no dia 13 de abril, traz os dois criticando a Odebrecht, a Lava Jato e a própria revista, sempre em defesa de Aécio. Andrea diz: “Agora, que está acontecendo na Veja, o que o pessoal fez… Assinaram todos os jornalistas e vão pegar a loucura desse cara [Alexandre Acioly, delator] para esquentar a maluquice contra mim”. Azevedo responde: “Ah, eu vi. É nojento, nojento. Eu vi. Tanto é que logo no primeiro parágrafo, a Veja publicou no começo de abril que não sei o que, na conta de Andrea Neves. Como se o depoimento do cara endossasse isso. E ele não fala isso”.

Em outras conversas, os dois criticam o procurador-geral da República, Rodrigo Janot, de separar os inquéritos contra Aécio para que ele se tornasse o campeão de investigações. O senador afastado responde a cinco inquéritos no STF. O tom amistoso entre os dois é tão grande que, em uma das interceptações, eles chegam a recitar poemas um para o outro.

Em nota, Azevedo disse que garantias constitucionais suas foram violadas com a divulgação do áudio.

“Pedi demissão da VEJA. Na verdade, temos um contrato, que está sendo rompido a meu pedido. E a direção da revista concordou. 1: não sou investigado; 2: a transcrição da conversa privada, entre jornalista e sua fonte, não guarda relação com o objeto da investigação; 3: tornar público esse tipo de conversa é só uma maneira de intimidar jornalistas; 4: como Andrea e Aécio são minhas fontes, achei, num primeiro momento, que pudessem fazer isso; depois, pensei que seria de tal sorte absurdo que não aconteceria; 5: mas me ocorreu em seguida: "se estimulam que se grave ilegalmente o presidente, por que não fariam isso com um jornalista que é crítico ao trabalho da patota; 6: em qualquer democracia do mundo, a divulgação da conversa de um jornalista com sua fonte seria considerada um escândalo. Por aqui, não; 7: tratem, senhores jornalistas, de só falar bem da Lava Jato, de incensar seus comandantes. 8: Andrea estava grampeada, eu não. A divulgação dessa conversa me tem como foco, não a ela; [... ]10: O que se tem aí caracteriza um estado policial. Uma garantia constitucional de um indivíduo está sendo agredida por algo que nada tem a ver com a investigação; 11: e também há uma agressão a uma das garantias que tem a profissão. A menos que um crime esteja sendo cometido, o sigilo da conversa de um jornalista com sua fonte é um dos pilares do jornalismo", disse.
Comentários
0 Comentários

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Facebook

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...