Analytics

menu

Image Map

quarta-feira, 3 de maio de 2017

SAJ: Governo corta 27% do contrato e instituto demite cerca de 200 funcionários do Hospital Regional

Foto: Divulgação | SESAB
Para reduzir 27% do seu orçamento após uma readequação contratual, o Instituto Fernando Filgueiras (IFF), responsável pelo gerenciamento do Hospital Regional de Santo Antônio de Jesus (HRSAJ), demitiu cerca de 200 funcionários da unidade.

Diante da situação, os funcionários restantes emitiram uma carta aberta ao governador Rui Costa (PT), onde pedem a revisão do quadro. Isso porque a decisão do instituto atende uma demanda do governo para cortar gastos da instituição.

"Estamos vivendo tempos difíceis, estamos sobrecarregados, os funcionários demitidos não estão indo cumprir o aviso prévio, e os funcionários que moram fora e outros que só tem apenas esse emprego também não vêm por conta dos salários atrasados como pagar passagem, com qual motivação trabalhar?", questionam os funcionários que permanecem empregados. Eles denunciam que estão sobrecarregados porque, embora o hospital não diminua os serviços, o atendimento está precarizado.

"A qualidade não pode ser trocada pela quantidade de serviços, o cuidado não está garantido somente pela qualificação dos seus profissionais, mas também pela quantificação destes para o desenvolvimento das atividades legalmente previstas", acrescentam.

O pedido foi corroborado pelo deputado estadual Alan Sanches (DEM), que também cobrou esclarecimentos do governo baiano. Vice-presidente da Comissão de Saúde e Saneamento da Assembleia Legislativa da Bahia (AL-BA), o parlamentar criticou a determinação do Executivo estadual e o tratamento dado à saúde da população do Recôncavo.

"Mais uma vez ignorando que a saúde precisa ser prioridade, pois envolve vidas e que decisões como esta significa que o serviço prestado para a população será afetado tanto no quesito quantitativo como qualitativo", ressaltou, acrescentando ainda que um serviço que já foi de excelência, "hoje está penando, com greves e agora esse corte absurdo que, consequentemente, resultará ainda na sobrecarga para os profissionais que permaneceram".

O deputado prometeu ainda acionar o Ministério Público. Já a Secretaria de Saúde do Estado (Sesab) disse, em nota enviada ao Bahia Notícias, que notificou o IFF e que não foi autorizada nenhuma redução de prestação de serviços no hospital.

A Sesab determinou também a revisão das demissões a fim de que a unidade possa manter a regularidade dos serviços contratados. O BN tentou contato com o instituto, mas não houve retorno.
Comentários
0 Comentários

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Facebook

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...