Analytics

menu

Image Map

quarta-feira, 3 de outubro de 2018

Candidatos de DEM e PSD pedem voto em Bolsonaro e consolidam debandada

 Foto: Max Haack
Pelo menos quatro candidatos a governador de partidos como DEM, PSD e Novo aproveitaram o debate das afiliadas da Rede Globo nesta terça-feira (2) para pedir votos em Jair Bolsonaro (PSL) para a Presidência da República.

O movimento consolida a debandada de aliados de outros presidenciáveis em direção à candidatura do capitão da reserva, que já havia recebido apoio de candidatos a governador de outros partidos como Índio da Costa (PSD), no Rio, e Gelson Merísio (PSD), em Santa Catarina. Nesta terça (2), durante o debate, anunciaram voto em Bolsonaro os candidatos a governador do Distrito Federal Alberto Fraga (DEM) e Rogério Rosso (PSD). Ambos patinam nas pesquisas e tentam pegar carona da popularidade do presidenciável do PSL -que chega a 39% das intenções de voto na capital federal- para tentar chegar ao 2º turno. Fraga já era aliado de Bolsonaro, mas havia anunciado apoio a Geraldo Alckmin (PSDB) em agosto, logo após firmar aliança com os tucanos no DF.

Já Rosso, cujo partido nacionalmente apoia Alckmin, havia anunciado apoio a Alvaro Dias (Pode) no início da campanha. A declaração de Rosso coloca em situação delicada o senador Cristovam Buarque (PPS), que tenta a reeleição e apoia a candidatura de Rosso no DF e Marina Silva (Rede) para presidente. Na Bahia, o candidato a governador da Bahia José Ronaldo (DEM) também pediu aos seus eleitores que votassem em Bolsonaro já no 1º turno.

"Domingo eu vou votar para derrotar o PT. E eu estou vendo nas ruas do Brasil um desejo de mudança. E esse desejo de mudança é Bolsonaro. Portanto, o voto domingo é o voto útil para a gente derrotar o PT. Vamos colocar o PT para fora", afirmou Ronaldo. Após a declaração de voto de Ronaldo, o prefeito de Salvador ACM Neto (DEM) -que é um dos coordenadores da campanha de Alckmin- se disse surpreendido. "Quero deixar registrado que esta não é a minha posição e nem a do Democratas.

Seguimos trabalhando firme para eleger Geraldo Alckmin". Apesar da declaração de surpresa do presidente do DEM, o movimento de aproximação entre o partido e Jair Bolsonaro que já vinha se delineando na Bahia nas últimas semanas. Há cerca de dez dias, o senador Magno Malta (PR), um dos aliados mais próximos de Bolsonaro, visitou a Bahia e anunciou o apoio do capitão da reserva a José Ronaldo. A visita aconteceu na mesma semana em que Ronaldo, num comício, fez uma enquete entre eleitores perguntando em que votariam para presidente. A plateia só reagiu com força quando o nome de Bolsonaro foi citado e o candidato do DEM emendou: "Essa pesquisa é a que vale." Com a aproximação, o DEM baiano atrai os votos antipetistas na Bahia.

Segundo pequisa Ibope divulgada há uma semana, Ronaldo tem apenas 11% das intenções de voto contra 61% do governador Rui Costa (PT). Já Bolsonaro chega a 17% entre os baianos contra apenas 5% de Alckmin. Em Minas Gerais, foi o candidato do Novo, Romeu Zema, quem pediu votos em Bolsonaro, mencionando também o presidenciável do seu partido, João Amoêdo. "Aqueles que quiserem mudança podem votar em candidatos diferentes, ou João Amoêdo ou Jair Bolsonaro", disse. Em entrevista à imprensa após o debate, mudou de versão e afirmou que, na verdade, estava pedindo aos mineiros que votam em Amoêdo e Bolsonaro para que votem nele para governador. "Os eleitores do Bolsonaro têm geralmente proximidade muito grande com as nossas propostas", completou.

Fonte: Bahia Notícias
Comentários
0 Comentários

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Facebook