Analytics

menu

Image Map

segunda-feira, 10 de dezembro de 2018

PT tenta reacender campanha por liberdade de Lula

Foto: Reprodução
Oito meses após a prisão do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva, o PT tenta reanimar a militância e reacender a campanha pela liberdade do petista. Hoje, apoiadores de Lula farão um ato na sede do Sindicato dos Metalúrgicos do ABC, em São Bernardo do Campo (SP), local onde ele se entregou à PF no dia 7 de abril, para reforçar a mobilização em defesa do ex-presidente. Além disso, hoje e amanhã, a Fundação Perseu Abramo, braço teórico do partido, fará uma conferência internacional em São Paulo com a presença do ex-prefeito Fernando Haddad, candidato derrotado na eleição presidencial, da ex-presidente Dilma Rousseff e da presidente nacional do PT, Gleisi Hoffmann, para debater "defesa da democracia".

A campanha internacional a favor da liberdade de Lula deve ser um dos temas discutidos. Na legenda, o ex-chanceler Celso Amorim é responsável por organizar a mobilização a favor de Lula fora do Brasil. Preso há oito meses em Curitiba após condenação na Lava Jato, o ex-presidente enviou uma carta ao Movimento Sem Terra lida no sábado, 8, por Haddad em Guararema (SP). No recado, o ex-presidente cita dado do IBGE revelando que, de 2016 para 2017, dois milhões de pessoas passaram para baixo da linha de pobreza no País e faz críticas indiretas ao presidente eleito, Jair Bolsonaro. "Infelizmente, as políticas que se anunciam no País, aprofundando as medidas do governo Temer, só devem piorar as perspectivas de futuro dos brasileiros", diz a mensagem.

Na carta, o ex-presidente pede aos apoiadores para "redobrar forças" visando retomar o "rumo de um Brasil mais justo" no futuro. Gastos O PT (Partido dos Trabalhadores) é o partido que mais teve despesas em 2017 dentre as 35 siglas. O total de gastos chegou a R$ 119.549.790,48 no ano, segundo dados declarados no SCPA (Sistema de Prestação de Contas Anual) do TSE (Tribunal Superior Eleitoral). O valor representa 17,27% das despesas totais do sistema partidário daquele ano, que somou R$ 692,411,528,44.

O 2º partido que mais gastou em 2017 foi o MDB. O montante foi de R$ 80.566.656,87, quase R$ 40 milhões a menos que o PT, representando 11,64% do total. Em seguida está o PSDB, que finalizou o ano com R$ 76.411.160,39 em gastos, sendo 11,04% do total. Depois o PSB, com R$ 46.090.619,50 (6,66%), e o PSD, com R$ 39.497.957,88 (5,70%). Os dados referentes à prestação de contas dos partidos foram divulgados no Relatório de Análise do Sistema de Prestação de Contas Anuais dos Partidos Políticos Brasileiros, produzido pelo Movimento Transparência Partidária.

O documento ainda apresenta falhas do sistema e recomendações para aperfeiçoamento ao TSE. Os dados revelam que os 5 partidos que mais gastaram em 2017 concentraram mais da metade (52.31%) das despesas totais do sistema partidário naquele ano.

Fonte: Tribuna da Bahia 
Comentários
0 Comentários

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Facebook