Analytics

quinta-feira, 18 de abril de 2019

Muritiba: Unidade Móvel da Defensoria encerra itinerância na cidade e totaliza 318 atendimentos nos dois dias

Foto: Divulgação | Ascom DPE-BA
O segundo dia da Unidade Móvel de Atendimento da Defensoria Pública do Estado da Bahia – DPE/BA em Muritiba, no recôncavo baiano, continuou intenso. Nesta quarta-feira, 17, foram atendidos mais 139 moradores e o número de atendimentos, somando os dois dias, chegou a 318 sobre os mais diversos casos.

“Realmente, retomamos as visitas da Unidade Móvel às cidades do interior com o pé direito. Nesta primeira itinerância do ano, os moradores souberam aproveitar todos os serviços que a Defensoria oferece e, aqui, em Muritiba, registramos de tudo nestes 318 atendimentos. O número de pessoas que atenderam as nossas cartas-convite emitidas ontem e vieram neste segundo dia propiciou uma intensa demanda de mediações, sobretudo, divórcios consensuais, acordos de alimentos, guardas, direito de visita, além de orientações jurídicas sobre diversos assuntos, exames de DNA para investigação e reconhecimento de paternidade e consultas processuais”, contou o coordenador da Unidade Móvel, o defensor público Marcus Vinícius Lopes de Almeida.

Nos dois dias em que a UMA, como é conhecida, esteve em Muritiba, atraiu moradores da sede, de cidades vizinhas e também da zona rural, que vieram de longe para aproveitar a oportunidade da presença da Defensoria na cidade. “Eu vim de Carro Quebrado para lutar pelo direito do menino e para que ele cumpra a obrigação dele como pai. O último dinheiro que ele deu foi 100 conto, há muito tempo”, lembrou a lavradora Maria Nilza Oliveira, 42 anos. “Já eu vim de São José do Itaporã para saber mais sobre os meus direitos e como correr atrás deles”, contou o aposentado Josias Santos, 67 anos, que foi em busca de orientação sobre como divorciar da ex-mulher que mora em outro estado.

Consulta, mediação e conciliação

Morador do centro de Muritiba, o servente Jean Nascimento, 21 anos, foi até à Unidade Móvel para solicitar a consulta processual da situação do irmão, que foi condenado a 20 anos de reclusão em regime fechado e cumpre pena em Salvador. “Ele está lá há cinco anos, mas estamos sem notícias e sem saber o que é preciso para que ele possa ter a remissão da pena e deixar o regime fechado”, explicou o irmão. “Daqui a um pouco mais de um ano ele já poderá ter alguns benefícios, como a progressão de regime”, explicou, para alívio do servente, o coordenador Marcus Vínicius, que também atua na área criminal em Salvador.

Já para um ex-casal que mora na cidade e preferiu não se identificar, a ida da Unidade Móvel para Muritiba representou a chance dos dois voltarem a se falar e a iniciarem uma conversa sobre os alimentos dos dois filhos. “Ele disse que só vai dar algum valor se for através da justiça e, por isso, estamos aqui”, contou ela. “Meu papel de pai não se resume só ao dinheiro que eu dou. Pai é pai toda hora”, respondeu ele, enquanto o defensor público Armando Fauaze fazia a mediação e conciliação.

Além do coordenador Marcus Vinícius e do defensor Armando Fauaze, este segundo dia da visita da Defensoria à cidade contou com a atuação das defensoras públicas Flávia Coura e Guiomar Fauaze, além dos servidores de Salvador e Santo Antônio de Jesus. Agora, a Unidade Móvel volta para Salvador e, na próxima semana, entre os dias 25 e 28 de abril, estará em Feira de Santana para reforçar o Plantão da Defensoria na Micareta 2019.
Comentários
0 Comentários

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Facebook