Analytics

quinta-feira, 13 de junho de 2019

Cachoeira: 'Médicos estão fazendo complô para não atender no hospital da Santa Casa de Misericórdia,' denuncia provedor

Foto: Reprodução 
O provedor da Santa Casa de Misericórdia de Cachoeira, Luiz Araújo, denunciou por meio das redes sociais que a falta de atendimento na urgência e emergência do Hospital São João de Deus da Santa Casa de Misericórdia é porque os médicos "estão fazendo um complô" contra a instituição de saúde. Leia a nota do provedor abaixo:

"A URGÊNCIA/EMERGÊNCIA SÓ PODERÁ ATENDER PACIENTES COM A PRESENÇA DE MÉDICOS(AS) PLANTONISTAS.

Alguns médicos que estavam dando plantão no HOSPITAL recebendo as diárias dos plantões à vista, e, concomitantemente recebendo parcelas da dívida dos plantões que não foram pagos devido atrasos dos pagamentos do SUS ao hospital, passaram a exigir o aumento do plantão de R$ 1.400,00 para R$ 1.800,00, daí, um dos médicos exigiu pagamentos antecipados, o que foi feito, porém, o mesmo abandonou o plantão, só retornando após o Provedor da SCMC ter ameaçado entrar com mandado de segurança no plantão judiciário.

A partir daí, abriram uma campanha sistemática para os colegas não aceitarem realizar plantões no HOSPITAL da SCMC.

A SCMC estabeleceu acordo contratual com uma instituição/cooperativista para garantir plantonistas, mas, diante desse efeito chantagista, corporativista, está encontrando dificuldades para assegurar a regularização dos plantões imediatamente.

O ambiente tornou-se tão degradante, que um dos médicos, apesar de compor esse complô, solicitou do PROVEDOR via WhatsApp, que toparia realizar plantões, e, ao mesmo tempo influenciava outros profissionais à não aceitarem a proposta de plantões.

Perceba que ambiente ante ético.

Já estamos adotando providências para sanar esse grave problema.

Os demais serviços estão funcionando regularmente, amanhã/quinta feira ocorrerá cirurgias de próstata, entre 17 a 21 de junho/19, serão realizadas dezenas de cirurgias eletivas cumprindo a meta de 80 cirurgias eletivas mensal para pacientes do SUS.

Sem contar com nenhuma parceria com a Secretaria de Saúde de Cachoeira, o Hospital está atendendo mais de 1.600 pacientes de PSF por mês, devido ao funcionamento irregular dos PSFs, e, que durante sábado, domingos e feriados não funcionam.

Já imaginou os PSFS fechados durante os festejos juninos, e o Hospital atendendo a imensa população que virão curtir as caríssimas atrações da Feira do Porto?

A Santa Casa de Cachoeira aumentará suas despesas sozinha, contando apenas com o sub financiamento do SUS.

Não se trata de a Prefeitura ajudar a Santa Casa de Cachoeira, e sim, garantir o pagamento suplementar dos serviços de PSF que o Hospital realiza, conforme regras da obrigação tri-partite do SUS.

Esse comportamento do Gestor Municipal já foi caracterizado como comportamento ilegal como abuso de poder pelo Juiz da Comarca de Cachoeira, obrigando ao Poder Municipal pagar o valor mensal de R$ 30 MIL REAIS do convênio, o qual era repassado esse valor mensal, mas, o ex Provedor entregava de volta e em dinheiro 10 mil reais na residência do atual Secretario de Saúde de Cachoeira.

Diante de tal ilegalidade evitada pelo atual Provedor da SCMC, o Prefeito declarou retaliação ao Hospital da SCMC.

O povo está sendo sacrificado, e a Santa Casa de Cachoeira se virando para atender suas responsabilidades hospitalar e também de Atenção Básica de Saúde.

Esse mesmo comportamento o Prefeito fez nas GESTOES que SALU e GILSON foram PROVEDORES.

O HOSPITAL SÃO JOÃO DE DEUS COM 290 ANOS DE FUNCIONAMENTO JAMAIS SERÁ FECHADO.

Aguardem as novas medidas que serão adotadas para essa quase tri centenária Instituição Filantrópica tornar-se financeiramente equilibrada.

Quem viver verá.

A JUSTIÇA TARDA MAS CHEGA!"

Luiz Antônio C. Araújo/Provedor da SCMC.
Comentários
0 Comentários

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Facebook