Analytics

sexta-feira, 19 de julho de 2019

Fraude de azeite de oliva está mais aprimorada, diz governo

Foto: Reprodução
A fraude de azeites no Brasil está mais especializada e as empresas do setor usam óleos de origem desconhecida. A situação pode ser um risco para o consumidor, de acordo com reportagem do G1 que ouviu fiscais do Ministério da Agricultura.

Além disso, as fábricas clandestinas também dificultam a punição dos falsificadores. O governo já multou, em um ano, ao menos 30 lojas que vendem os produtos adulterados. O valor máximo da punição federal é de R$ 500 mil e depende do tipo de infração, da quantidade flagrada e do preço comercial do azeite. Os clientes que desconfiarem de uma marca do produto podem fazer uma denúncia ao Ministério da Agricultura por meio do número de telefone 0800 704 1995.

O Ministério da Agricultura informa que é considerado azeite de oliva “o produto obtido somente do fruto da oliveira, excluído todo e qualquer óleo obtido pelo uso de solvente, ou pela mistura com outros óleos, independentemente de suas proporções”. Assim, o uso de qualquer outro produto no azeite já se torna uma fraude.

Fonte: Noticias do Recôncavo
Comentários
0 Comentários

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Facebook