Analytics

segunda-feira, 24 de agosto de 2020

Governo Bolsonaro desmonta ação de combate ao abuso de crianças

Foto: Reprodução 
O governo Jair Bolsonaro excluiu do último relatório do Disque Direitos Humanos as informações sobre o encaminhamento e as respostas dadas a todas as denúncias de violações recebidas, entre elas as de violência infantil, feitas aos órgãos de apuração e proteção.

A informação é da Folha. Divulgado em maio deste ano pelo Ministério da Mulher, da Família e de Direitos Humanos, com dados referentes a 2019, o relatório do Disque 100 informa que foram registradas 86.837 denúncias de violência contra crianças e adolescentes, que representam 55% do total recebido e uma alta de 13,9% em relação ao ano anterior.

O maior volume de casos diz respeito a negligência (38%), enquanto a violência sexual representa 11% das denúncias. Há, ainda, ocorrências de violência psicológica (23%), violência física (21%), exploração do trabalho (3%), entre outras. O documento também aponta que 52% das violações ocorrem na casa da criança ou do adolescente.

De modo geral, 69% dos atos ocorrem com frequência diária. Não se sabe que encaminhamento foi dado às denúncias, nem se foi tomada alguma providência. Questionado pelo jornal, o ministério respondeu que a exclusão desses dados foi uma "decisão editorial", mas frisou que as denúncias recebidas são encaminhadas. Não é a primeira vez que o relatório do Disque 100 causa polêmica. Em junho, foi divulgado que os dados sobre violência policial haviam sido excluídos do texto. Na época, o governo justificou a decisão com "inconsistências" na base de dados.

Fonte: Metro 1
Comentários
0 Comentários

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Facebook