Analytics

quinta-feira, 15 de outubro de 2020

Bolsonaro comunica Senado da saída de Chico Rodrigues da vice-liderança

Foto: Reprodução
O “Diário Oficial da União” (DOU) publicou em edição extra nesta quinta-feira (15) mensagem do presidente Jair Bolsonaro ao Senado informando a saída do senador Chico Rodrigues (DEM-RR) da vice-liderança do governo na Casa. Rodrigues foi alvo de operação da Polícia Federal deflagrada na quarta-feira (14) em Roraima e foi flagrado com dinheiro na cueca. 

A ação buscou desmantelar um esquema milionário de desvio de recursos públicos que deveriam ter ido para o combate ao coronavírus. O despacho do presidente pede a adoção de providências para a saída de Rodrigues do posto. Segundo o ato, o parlamentar pediu para sair da vice-liderança do governo no Senado. 

O senador ocupava a liderança desde 14 de março de 2019, quando a indicação pela Presidência foi publicada no DOU. O senador tentou esconder dinheiro na cueca quando policiais federais foram cumprir mandados de busca na sua casa, em Boa Vista. A quantia, ainda não informada, foi apreendida. A tentativa de esconder dinheiro dentro da roupa foi revelada pela revista “Crusoé”. Em nota divulgada nesta quarta (14), Rodrigues afirmou que não tem envolvimento com qualquer ato ilícito.

O pedido de Rodrigues para deixar a função de vice-líder foi anunciada mais cedo pelo líder do governo no Senado, Fernando Bezerra (MDB-PE), em entrevista ao blog do jornalista Valdo Cruz, colunista do G1 e da GloboNews. A permanência de Rodrigues na função era vista como um desgaste para Bolsonaro, que tem repetido nos últimos dias que não há corrupção em seu governo.

Recentemente, o presidente disse que “acabou” com a Operação Lava Jato pois não há casos de corrupção na sua gestão. Bolsonaro é amigo de Rodrigues e aparece em vídeo, que voltou a circular pelas redes sociais, no qual disse ter “quase uma união estável” com o parlamentar. 

O senador também emprega em seu gabinete no Senado Leonardo de Jesus, conhecido por Leo Índio, primo dos filhos de Bolsonaro. “A Polícia Federal cumpriu sua parte em fazer buscas em uma investigação na qual meu nome foi citado. No entanto, tive meu lar invadido por apenas ter feito meu trabalho como parlamentar, trazendo recursos para o combate à Covid-19 na saúde do estado”, disse.


Fonte: G1
Comentários
0 Comentários

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Facebook