Diário da Notícia | Recôncavo Baiano - Rubem Júnior
Foto: Reprodução
O Ministério Público Estadual do Amazonas pediu, na última segunda-feira (25), a prisão e o afastamento do cargo do prefeito de Manaus, David Almeida, e da secretária municipal de Saúde, Shadia Fraxe.

Eles estão sendo investigados por irregularidades na aplicação da vacina e desrespeito à ordem prioritária da vacinação contra o coronavírus. 

De acordo com a reportagem, os pedidos são de prisão, afastamento, busca e apreensão. O documento foi feito pela Procuradoria Geral do MP-AM e enviado à Justiça do estado. 

Ele informa que houve fraude na fila prioritária para receber o imunizante contra a Covid-19 e a contratação irregular de dez médicos. O prefeito divulgou uma nota, onde afirmou estar “profundamente indignado com a atuação ilegal e arbitrária” do MP. Ele informou que “ingressará com as medidas cabíveis contra os responsáveis”. 

A investigação da gestão do município foi iniciada após circularem fotos na internet mostrando duas irmãs, da família que comanda uma das maiores universidades privadas da cidade, comemorando o fato de terem sido vacinadas. Segundo o jornal O Globo, as duas são médicas, mas foram nomeadas em cargos comissionados na Prefeitura de Manaus na véspera e no dia do início da vacinação na cidade. 

Durante a apuração, foi solicitada à administração da capital amazonense uma lista com todos os profissionais de saúde que foram vacinados, a escala de trabalho de funcionários e todos os atendimentos realizados.


Fonte: Metro 1

Facebook