Foto: Reprodução
Uma mulher de 35 anos, identificada como Miranyl Santana da Hora, foi morta com golpes de pedaço de madeira, por um homem que estava em uma festa junto com ela e outras pessoas, na cidade de Olivença, no sul da Bahia.

O caso aconteceu na madrugada de segunda-feira (29), em uma área abandonada de um hotel fazenda, onde o grupo estava reunido e consumindo bebida alcoólica. Segundo a polícia, antes de cometer o crime, o homem teria dito que estava “com o demônio no corpo”. Cerca de cinco pessoas estavam no local, e Miranyl e o suspeito teriam “flertado” durante a noite. 

De acordo com a polícia, o homem, conhecido como “Danilo da Usina”, tem uma vasta ficha criminal por envolvimento com homicídios e o tráfico de drogas na região. Segundo o delegado Evy Pasternostro, coordenador da Polícia Civil de Ilhéus, Miranyl teria dito algo que o homem não gostou, e então ele pegou um pedaço de pau e atacou a mulher.

“Eles estavam no local, bebendo, a vítima e outras pessoas. No momento da agressão, ela teria dito alguma frase a ele, que disse ‘estar com o demônio no corpo’. Ele matou a mulher, agrediu uma testemunha e acabou pegando no sono logo depois, possivelmente por estar fazendo uso de drogas”, disse o delegado. Uma testemunha do caso é uma amiga da vítima. 

Ela tentou defender Miranyl e também foi atingida com os golpes. As pancadas feriram o braço da mulher, que conseguiu fugir e chamou a polícia. Não há informações sobre o atual estado de saúde dela. Uma equipe da 69ª CIPM chegou ao local onde ocorreu o crime e encontrou Danilo deitado em um colchão, na área externa do imóvel, e o prendeu em flagrante. 

De acordo com o delegado, ele esteve preso no ano passado por outros crimes, mas estava em liberdade provisória. “Ele é um homem perigoso, bandido, envolvido em homicídio e tráfico de drogas. Estava preso em 2020, mas o juiz havia concedido liberdade provisória em todos os processos.

Agora, o juiz da Vara do Tribunal de Ilhéus já decretou a prisão preventiva e ele voltou para a cadeia”, afirmou. O caso foi encaminhado à Delegacia Especializada de Atendimento à Mulher (Deam) de Ilhéus, onde o homem permanece preso, aos cuidados da Justiça Criminal.


Fonte: G1

Postagem em destaque

Facebook