Analytics

menu

Image Map

gov ba

Alta Vista

quarta-feira, 10 de março de 2021

Opinião: Gilmar Mendes desnuda os planos de Fachin e Kássio Nunes passa a ser o 'dono da bola'

Fotos Gilmar Mendes e Fachin: Jota | Kássio e Lula: Jornal da Cidade Online | Montagem: DdN
Por Rubem Júnior
O que falamos no artigo intitulado: Decisão de Fachin pode ser um possível fogo de palha, foi justamente o que ficou explícito nesse último dia 9/03, quando o também ministro do STF, Gilmar Mendes, "deu uma rasteira" nos planos de Edson Fachin que quis livrar o ex-juiz federal Sérgio Moro do processo de suspeição no julgamento do caso do Triplex do Guarujá - Gilmar Mendes que tinha feito o pedido vista do processo em 2018 decidiu apresentar ao plenário da Segunda Turma do Supremo Tribunal Federal o seu voto e dá continuidade a análise do pedido da defesa do ex-presidente Lula. 

A ministra Cármen Lúcia e Edson Fachin, que ainda quis adiar a análise do processo, votaram contra o processo. O ministro Gilmar Mendes e o Ricardo Lewandowski votaram a favor. 

O quinto elemento da Segunda Turma, Kássio Nunes Marques, pediu vista do processo, deixando sem data marcada o retorno da análise. Com isso, o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva continua com seus direitos políticos reestabelecidos, porém, ainda não há uma garantia que ele será candidato em 2022. Ou seja, o Ministro Kássio Nunes foi indicado recentemente por Bolsonaro, que pode, de repente, fazer uso político no futuro, caso, como pensa o Presidente Bolsonaro a respeito do Ministro Edson Fachin sobre a decisão de ter anulado as condenações de Lula na Lava Jato (saiba mais), pode votar contra a suspeição e o juíz que pegar os processos em Brasília adiantar os julgamentos, como já aconteceu contra o próprio Lula em 2018, e deixá-lo inelegível outra vez. 

Ao tempo que o ministro Kássio Nunes pode ter uma tendência contrária, como já ficou provado que às vezes os ministros indicados por determinado Presidente não guiam suas decisões favoravelmente ao seu, ou ao partido do indicador - vide o próprio Fachin, que foi indicado pela ex-presidente Dilma Rousseff e já proferiu diversas decisões contrárias ao PT.

Mas, o que ficou registrado nesse dia 09 de março de 2021 é que  Gilmar Mendes desnudou os planos do ministro Edson Fachin que quis manter as investigações e as provas viciadas da Operação Lava Jato de Curitiba e talvez limpar futuramente a imagem de Sérgio Moro, para aumentar seu capital político, numa possível tentativa de concorrer as eleições presidenciais de 2022.

Comentários
0 Comentários

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Facebook