Diário da Notícia | Recôncavo Baiano - Rubem Júnior

Foto: Agência Câmara
A presidente do Partido Social Liberal (PSL) e deputada federal, Dayane Pimentel, ex-aliada do governo Bolsonaro revelou suas expectativas para as eleições de 2022 citando o senador Jaques Wagner (PT) e o ex-prefeito de Salvador ACM Neto (DEM), e não descartou apoiar o PT para o governo da Bahia.

"Wagner se fortalece com a candidatura de Lula," avalia a deputada.

"Acho que a base do partido (PSL) se dividiria caso apoiasse o PT. Não é uma decisão minha, mas sim do grupo que deve decidir qual opção tomar em relação a 2022. Para que a determinação de apoiar outro candidato se concretize, os diálogos com Neto teriam que se esgotar. Ele sempre contou com o PSL na sua base. Conseguindo o nosso apoio, vai estar muito bem. As conversas estão conceituadas", disse Daiane.

A parlamentar anunciou a entrada do deputado Elmar Nascimento do Democratas ao PSL. 

"Ele vai anunciar sua saída do DEM para ingressar no nosso grupo. Precisamos alargar o número de cadeiras. Quando a gente fala em partido grande, costumamos nos posicionar como destaque". 

Pimentel defendeu a sigla e o objetivo do PSL e destacou a presença e o apoio dos prefeitos filiados ao PSD.

 "Como parlamentar, vocês sabem que tenho uma posição para ideologia e economia mais aberta. Estaremos buscando lugares de protagonismo. O tempo de televisão e a grandiosidade que o partido tem não permite que ele atue nas eleições como coadjuvante. Temos aliados importantes como o Partido Social Democrata, através de algumas prefeituras. O meu objetivo é fazer crescer o nosso grupo". 

Fonte: De Olho na Cidade

Facebook