Diário da Notícia | Recôncavo Baiano - Rubem Júnior
Foto: Reprodução 
Com depoimento agendado para a próxima quarta-feira (18), o ex-ministro Eduardo Pazuello não está disposto a repetir o comportamento acuado e nervoso de Ernesto Araújo na CPI da Pandemia. 

Segundo a coluna Radar da revista Veja, o ex-ministro da Saúde rejeitou o auxílio de assessores que pretendiam treinar suas respostas na comissão e confidenciou a aliados que pretende surgir na CPI envergando a chamada túnica verde oliva, o fardamento do Exército. 

Além disso, o ministro foi aconselhado a não usar a farda porque o ato soaria como provocação aos senadores. Pazuello, no entanto, retrucou, segundo um aliado, dizendo que há uma regra na caserna sobre como o militar deve se vestir em eventos oficiais e que é preciso lembrar aos senadores que ele não é um ex-ministro qualquer. É um general do Exército.

“É uma forma de o Pazuello lembrar a todos que é general do Exército e que o Renan é o Renan”, diz um aliado do ex-ministro.



Fonte: BN

Facebook