Diário da Notícia | Recôncavo Baiano - Rubem Júnior
Imagem: Reprodução
O menino Tauã Marcos, de apenas 10 anos, presenciou a morte da mãe na rua dos Pinhais, no Curuzu. Ele estava na janela de casa no momento que uma viatura policial, em perseguição a criminosos, chegou disparando no bairro. Um dos tiros acertou a cabeça Maria Célia, de 69 anos, conhecida por Morena. O outro disparo atingiu a costela de Viviane Soares, 36, sua mãe. 

“Ele ficou gritando: ‘acertaram minha mãe! acertaram minha mãe!’. O choque foi enorme para ele. Tauã ficou agitado, não tem conseguido dormir desde então. Ele está em completo choque”, diz Natália Miranda, irmã de consideração de Viviane. Ela conta que, por conta do estado de saúde de Tauã, ele não compareceu ao enterro da mãe, ocorrido no último sábado (5), no cemitério Quinta dos Lázaros.

A família de Viviane já havia sido vítima de uma operação policial desastrada antes. Em novembro do ano passado, o menino Railan Santos da Silva morreu em uma manhã de domingo, após ação da Polícia Militar, enquanto acompanhava uma partida de futebol. Ele foi atingido no peito e não resistiu.


Fonte: Metro 1

Facebook