Foto: Divulgação | YouTube
“Estive na boca do furacão”. A declaração é do ex-deputado e ex-prefeito de São Gonçalo dos Campos, Targino Machado (DEM). Também médico, ele está com 50% dos pulmões comprometidos devido à covid-19. “Tenho certeza que se não estivesse contando com uma terapêutica médica especial, não teria condição de fazer essa travessia”, destaca.

“Passei vários dias com febre, cefaleia intensa, tosse seca e depois produtiva, um pouco de falta de ar e a baixa da saturação de O2, que hoje ainda está em níveis bem abaixo do patamar ideal para as minhas condições, circunstâncias e idade, que deveria ser aceitável entre 96 a 97, mas ao invés disso, está entre 91 e 92% nesse momento”, informa ao Protagonista, em mensagem via WhatsApp.

“Apresentei como intercorrência uma infecção bacteriana, por micro-organismos oportunistas, que elevou os meus leucócitos ao patamar de 28 mil. Estou muito bem acompanhado, tanto pela qualidade do profissional médico-pneumologista que preside o meu tratamento, quanto pela figura humana que é o Dr. Marco Freitas, que toca os interesses dos seus pacientes como se filhos ou pais seus fossem. Já conhecia essas suas qualidades, pois foi ele médico da minha querida e saudosa mãe. Tenho certeza que como Deus já me colocou e me deu oportunidade de tratar a tantos, inclusive pessoas desconhecidas, com amor, Ele colocou o Dr. Marcos ao meu lado, nessa hora tão difícil de enfrentamento de uma doença miserável, que provoca uma tempestade inflamatória violenta no nosso organismo, além de ser uma doença que não segue nenhum padrão”, pontua Targino.

“A minha TC de tórax apresentou 50% de comprometimento dos pulmões, mas à noite passada (sexta) já transcorreu melhor e o dia de hoje (sábado) foi o melhor dos meus últimos dez dias. Somado a isso no exame realizado, os leucócitos baixaram para 18 mil e o marcador de inflamação, o PCR, também já teve uma razoável baixa. Estou sem uso de antifebril e, mesmo assim, sem febre”, explica.

“Agradecendo a Deus não ter me faltado nada até aqui. Ao invés disso, tive a oportunidade de ser infectado um mês após já ter tomado a segunda dose da vacina. Tenho certeza não estaria resistindo se não fosse pela vacina, que dificulta o aparecimento de quadros ainda mais graves. Vamos continuar com os cuidados de higiene, especialmente das mãos, o distanciamento social, o uso ininterrupto de máscaras e buscando a vacinação. Muito obrigado a todos que têm feito contato, ao tempo que peço desculpas por ainda não poder atendê-los. Deus está no comando de tudo e está me tirando dessa. A luta pela vida continua”, acentua Targino Machado, que foi testado positivo no dia 18 de junho. 

Fonte: Protagonista Fsa

Facebook