Rodrigo Ribeyro à direita | Foto: Mathilde Gardel/Divulgação
O estudante de Cinema e Audiovisual da Universidade Federal do Recôncavo da Bahia (UFRB), Rodrigo Ribeyro, conquistou o terceiro lugar da mostra competitiva reservada a estudantes, a Cinéfoundation, da 74ª edição do Festival de Cannes, com o curta-metragem "Cantareira". 

Responsável pelo roteiro, direção, montagem e até desenho de som da obra, Rodrigo Ribeyro estava entre os 17 finalistas, dentro de um universo de 1.835 inscritos integrados a 490 escolas de cinema. O curta foi produzido como trabalho de conclusão de curso da Academia Internacional de Cinema.

Rodrigo recebeu com surpresa o anúncio da conquista do terceiro lugar. “Primeiro, parabenizo a equipe e o elenco pelo feito. Só a coletividade torna isso possível. Fico muito feliz com esse terceiro lugar na Cinéfondation aqui em Cannes. A representatividade desse prêmio é o que mais importa, principalmente em se tratando de uma competição entre filmes majoritariamente europeus ou oriundos de outros países desenvolvidos", explicou Rodrigo Ribeyro.

Enredo

O filme de Rybeiro tem por mote a Serra da Cantareira (ao norte paulistano) e questões ambientais ligadas ao embate entre o meio rural e a metrópole. O atrativo da natureza promete influenciar decisões fortes de um jovem deslocado na cidade grande.

Em 23 minutos de duração, a obra mostra a história de Bento e Sylvio, neto e avô respectivamente, ambos com raízes profundas na Serra da Cantareira, mas em momentos diferentes de vida. Bento, trabalhador e morador do centro de São Paulo, decide voltar ao lugar onde cresceu, a casa do avô Silvio, buscando não somente a paz, mas também um emprego.

Trajetória

Em 2017, Rybeiro estreou com o curta híbrido “Entrevista com o grande diretor Rodrigo Bok", que se utiliza de imagens reais de circuito de segurança para retratar um roubo enquanto insere a ficção através de uma falsa entrevista com seu alter ego.

No primeiro semestre de 2019, filmou "Cantareira”, seu projeto de conclusão de curso da Academia Internacional de Cinema de São Paulo. Seu próximo projeto foi desenvolvido na Amazônia, aonde filmou o curta documental "Antes do Çairé”, que retrata a vida dos catraieiros (remadores) e dos ritos religiosos de Alter do Chão, em Santarém, no Oeste do Pará, nos dias que antecedem o início da maior festa local. Lá, também filma o clipe da faixa “Subjetivo Objetivo”, do duo experimental "Em Coma Sintético".

Durante a pandemia do coronavírus, Rodrigo Rybeiro se dedica à produção de curtas experimentais, como é o caso de “O Retorno do Meu Vô” e à escrita de alguns roteiros, entre eles “O Vento”, um curta metragem, e “Minerva”, seu primeiro projeto de longa-metragem. Com informações da Academia Internacional de Cinema.

Facebook