Andrea Siqueira Valle e a irmã Ana Cristina, mãe de Jair Renan (Montagem)
Gravações obtidas pelo UOL apontam o envolvimento de Jair Bolsonaro (sem partido) em um esquema ilegal de rachadinha durante mandato como deputado federal.

A entrega de salários de assessores ocorreu entre 1991 e 2018, conforme revelou a coluna da jornalista Juliana Dal Piva, no portal UOL.

A fisiculturista Andrea Siqueira Valle, ex-cunhada do presidente da República, diz que Bolsonaro demitiu o irmão dela porque ele se recusou a devolver a maior parte do salário como assessor.

Segundo Valle, um servidor chamado André se recusava a entregar a maior parte do salário, o que irritou Jair Bolsonaro.

“O André deu muito problema porque ele nunca devolveu o dinheiro certo que tinha que ser devolvido, entendeu? Tinha que devolver R$ 6.000, ele devolvia R$ 2.000, R$ 3.000. Foi um tempão assim até que o Jair pegou e falou: ‘Chega. Pode tirar ele porque ele nunca me devolve o dinheiro certo'”, contou Valle ao UOL.

A ex-cunhada alega que cabia a Fabrício Queiroz, ex-policial militar e investigado por ligações com a milícia e pelo esquema de retenção de parte de salários, e a um coronel da reserva do Exército, ex-colega do presidente da República na Aman (Academia Militar das Agulhas Negras), recolher parte do salários dos servidores vinculados ao seu gabinete e do então deputado Flávio Bolsonaro.

Ouça as gravações obtidas pelo UOL:

Facebook