Foto: Reprodução
O jovem Michel da Silva Lins, de 21 anos, preso em uma ação policial pela suspeita de descartar dos corpos de Bruno e Yan Barros, mortos após furtarem carne no supermercado Atakarejo, em Salvador, foi solto na noite desta quarta-feira (14) após ter a prisão temporária revogada. 

A informação foi divulgada pelo advogado do jovem, João Victor. “Ele estava preso em uma prisão temporária, que visa dar prazo para a polícia investigar. Fechou as investigações, ontem foi oferecido uma denúncia em desfavor de Michel e pedido uma prisão preventiva, mas a juíza negou”, disse o advogado.

“Como já tinha encerrado a prisão temporária e já tinha encerrado as negociações, ela não viu mais objeto de manter essa prisão e revogou a temporária dele”, explicou. Na segunda-feira (12), Michel Lins e mais 12 pessoas foram denunciados pelo Ministério Público da Bahia (MP-BA) por crimes que resultaram nas mortes de Bruno Barros da Silva e Yan Barros da Silva. A defesa do jovem disse que foi pega com surpresa pela decisão. 

“A denúncia fez com que a gente fosse pego de surpresa, porque não tinha elemento nenhum para prender Michel. Eles baseiam toda as investigação em duas fotos: Uma de um relógio que nunca foi dele [Michel] e outra de um capacete branco, que pode ser de qualquer motoboy”, disse João Victor. 

“A denúncia variou várias versões diferentes e a defesa sempre teve certeza, provas robustas, declarações em várias linhas, a gente sabia da inocência do Michel e agora nós vamos ao longo do processo provar a inocência dele como um todo”, afirmou. 

De acordo com a família do jovem, a motocicleta que aparece nas imagens com a pessoa que teria “descartado” os corpos das vítimas pertence a Michel, mas o veículo estava emprestado a um amigo do investigado.




Fonte: G1

Facebook