Médico suspeito de homicídio | Print: Diário da Notícia
Nesta sexta feira, 03/09, o advogado Guga Leal  apresentou na delegacia o médico Antônio Marcos Rego, acusado de matar a economista Gabriela Jardim Peixoto, 35 anos, encontrada morta no último sábado, 28/09, às margens da BR-116 norte, distrito de Matinha, em Feira de Santana. Klaudine Passos, a delegada que está a frente do caso, ouviu Marcos por mais de 06 horas e após o depoimento a delegada anunciou que o mesmo estaria preso após o mandado de prisão preventiva decretado pela juíza Márcia Simões.

Em entrevista Guga contou que Antônio Marcos veio do estado do Acre, para se apresentar espontaneamente para a delegada titular da 1ª Delegacia Territorial Klaudine Passos. Marcos chegou no dia de ontem (02/09), hoje fomos para o Complexo de Delegacias do bairro do Sobradinho em Feira de Santana.

O delegado Roberto Leal coordenador Regional da Polícia Civil, convocou a delegada Klaudine Passos para interrogar o acusado.Questionado pelo jornalista Luiz Santos sobre o que levou o médico a ser preso, o advogado informou,"ele tinha um mandado de prisão preventiva como foi divulgado, sabendo dessa informação veio se apresentar tendo consciência que poderia ser preso."Eu sabia que a juíza iria decretar a prisão preventiva", disse o advogado.

"O acusado veio para responder toda imputação que lhe era devido sabendo que teria grande chance de permanecer custodiado".Segundo o advogado Guga Leal Marcos informou tudo,foi o último a ser ouvido a polícia já sabia o que teria ocorrido, as testemunhas já tinham sido ouvidas", diz.

"Antônio Marcos contribuiu com a policia falou tudo, confirmando o que as testemunhas tinham dito, inclusive que eles estavam bebendo e usaram drogas tanto Gabriela quanto o Marcos", relata.

O advogado disse que lamenta dizer essas coisas pelo fato da vítima não está viva para se defender, mas as testemunhas confirmaram as informações. "As pessoas foram ouvidas 3 dias antes e afirmaram que a vítima estava usando drogas com Marcos, além de orgias, sendo o Marcos e mais duas pessoas à pedido de Gabriela", informa.

"Quem passou essas informações foram as pessoas amigas da vitima que disseram à polícia, o médico confirmou que Gabriela tinha pedido para ter sexo a três e para contratar uma garota de programa, ele contratou, e terminou que a profissional do sexo fez amizade com a vítima e passou se relacionar com Gabriela sem a permissão de Marcos", detalha.

"Hoje o acusado descobriu que a Gabriela estava fazendo programa, uma vez que já teria um apartamento alugado próximo ao Terminal Rodoviário de Feira, tanto a vitima quanto a garota de programa.".

De acordo com Guga essas informações sobre o comportamento de Gabriela são oriundas de testemunhas que prestaram esclarecimentos à polícia.

Perguntado sobre a informação de Gabriela desviado dinheiro da empresa que o dois tinham em comum, Guga disse, " não foi o furto, a vítima teria falsificado a assinatura do Marcos e efetuado empréstimos, no valor de R$ 40. 000.00, R$ 60.000,00 e outros peguemos empréstimos". 

"Ele questionava, mas ela sempre dizia que eles iriam resolver com calma, além disso eram também realizadas por Gabriela compras no cartão de crédito de Marcos no valor de R$15.000,00 mensais",diz Guga.

Quando perguntado se as atitudes da vítima motivaram o homicídio, ele disse "no dia 21 eles estavam brigados tentando reconciliar, tanto que ele estava de plantão no município de Santa Bárbara ela foi ao encontro dele, almoçaram juntos e combinaram de passar o domingo 22 juntos, no dia do crime, usaram muita droga,consumiram bebidas alcoólicas,tentaram reatar o relacionamento,no meio do caminho, próximo a uma chácara, Antônio perguntou sobre o vínculo com a garota de programa,foi quando entraram em luta corporal dentro do veículo e ele agrediu Gabriela. disse.

 "O sangue encontrado no veículo é dele e da vítima,o dedo de Marcos está quebrado por conta das agressões. "Ao descer do veículo próximo ao matagal foi nesse momento que o crime ocorreu, mas ele não sabe explicar como aconteceu. O acusado garante que causou a morte dela,mas não lembra," explica.

Guga finalizou dizendo que Marcos teve chances de fugir construir uma vida nova onde tem amigos e parentes, mas preferiu vir do Acre para Feira de Santana afim de colaborar com a justiça,mesmo sabendo que poderia ficar preso,"será que´tem necessidade de manter um cidadão deste preso? Questiona Guga Leal, advogado de defesa do médico Antônio Marcos Rego.

Fonte: Conectado News

Facebook