Analytics

menu

Image Map

segunda-feira, 25 de maio de 2015

Chega ao fim rebelião no conjunto penal de Feira de Santana; reféns são liberados

Fotos: Ed Santos
Chegou ao fim na manhã desta segunda-feira (25) a rebelião no conjunto penal de Feira de Santana, que foi iniciada na tarde de domingo (24) e deixou oito detentos mortos e cinco feridos. Parentes dos detentos, entre eles crianças, que se dirigiram ao presídio para a visita dominical, foram feitos reféns dentro do pavilhão e passaram a noite no local, sendo liberados nesta manhã, após a saída dos detentos, que foram transferidos para outro pavilhão. 



Ainda não há informação sobre a quantidade exata de pessoas que foram feitas reféns.Os presos exigiram a presença da comissão de Direitos Humanos da Câmara de Vereadores, bem como o presidente da Casa, Reinaldo Miranda (Ronny), para liberação das famílias. Ronny esteve no local na tarde de ontem e retornou nesta manhã.

“Chegamos nas primeiras horas da manhã, pois eles disseram que só se entregariam com a chegada da Comissão de Direitos Humanos. Conversamos com eles, que começaram a sair em grupos”, afirmou.
 
O Coronel Adelmário Xavier informou que houve dificuldades nas negociações, mas que após conversas, os detentos começaram a ser revistados e transferidos para outro pavilhão da unidade penal. Assim que todos os reféns forem liberados, a PM vai fazer uma varredura no local.

Saiba sobre:

Cinco detentos ficaram feridos e oito foram mortos, na tarde deste domingo (24), durante uma briga entre grupos rivais dentro do pavilhão 10 do Conjunto Penal de Feira de Santana. Cerca de 336 presos ocupam as 38 celas do local. No total, o presídio mantém 1.500 homens privados de liberdade e 22 agentes por plantão.

Foram feridos a golpe de faca Dioclécio Aureliano dos Santos, Davi Pires Almeida Fernandes, Anderson Clayton Silva Nascimento, Iago de Jesus dos Santos e Luiz dos Santos Almeida. Eles foram socorridos pelo Serviço de Atendimento Médico de Urgência (Samu) para o Hospital Geral Clériston Andrade (HGCA).

Os mortos foram José Silas da Silva, que foi decapitado e residia no bairro Rocinha; Haroldo de Jesus Brito, que morava na Rua Nova; Alisson Rodrigues Oliveira, que residia no conjunto Feira VII, Juliel Pereira dos Santos, do George Américo, Israel de Jesus Santos, Luiz Paulo de Souza Alencar, além do detento identificado apenas como Júnior.

Parentes dos detentos, entre eles crianças, que se dirigiram ao presídio para a visita dominical, foram feitos reféns dentro do pavilhão. Os presos exigiram a presença da comissão de Direitos Humanos da Câmara de Vereadores, bem como o presidente da Casa, Ronny, para liberação das famílias. Tanto ele como a vereadora Cintia Machado já estão no Conjunto Penal.

O vice-presidente da Ordem dos Advogados do Brasil (OAB), Carlos Eduardo Guimarães, o comandante do Comando Regional Leste (CPRL), coronel Adelmário Xavier, o delegado João Uzzum, entre outras autoridades, também se dirigiram ao presídio para tentar acalmar os ânimos dos presos e negociar a libertação dos reféns. 

Fonte: Acorda Cidade
Comentários
0 Comentários

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Facebook

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...