Analytics

menu

Image Map

terça-feira, 22 de agosto de 2017

Santo Amaro: Governo lança novo curso técnico em Aquicultura

Fotos: Claudionor Jr. - Ascom/Educação
Comunidades tradicionais de pescadores e marisqueiras estão entre os beneficiados pelo novo curso técnico de nível médio em Aquicultura ofertado pela rede estadual de ensino. O curso teve a aula inaugural, nesta segunda-feira (21), no anexo do Centro Estadual de Educação Profissional em Turismo do Leste Baiano (CEEP), localizado no Centro Vocacional Tecnológico do Pescado (CVTT), no distrito de Acupe, em Santo Amaro (81 km de Salvador), no Recôncavo Baiano. A iniciativa é fruto de uma parceria entre a Secretaria da Educação do Estado e a Secretaria de Agricultura (Seagri), por meio da Bahia Pesca.

As aulas realizadas terão como base a Pedagogia da Alternância, ou seja, os estudantes (oriundos principalmente da zona rural) passarão parte do tempo na escola e parte do tempo nas suas residências, de modo que conciliem o trabalho com os estudos. Enquanto estiverem nas aulas, os estudantes receberão hospedagem gratuita, alimentação e todo o material didático para o máximo aproveitamento das aulas.

Para a marisqueira Claudineia Bittencourt, 27, do distrito de Acupe, que trabalha há mais de dez anos na atividade, o curso trará novas possibilidades para a sua atuação profissional. “Sou filha de um pescador e de uma marisqueira e cresci vendo meus pais trabalhando nesta área que gosto muito. Este curso vai nos ajudar muito no nosso trabalho, porque vamos aprender a produzir em cativeiro e a desenvolver melhor a atividade”, afirma.

Quem também está animada é Jamile Paixão dos Santos, 24, moradora de Santo Amaro. “Minha mãe é marisqueira e me espelho nela. Sempre a acompanho para catar mariscos e ostras. Com este curso, vou poder ajudá-la a desenvolver o trabalho de forma mais qualificada e a aumentar a renda”, diz a estudante, confiante com a possibilidade de incrementar o negócio da família.

Ensino Superior - Leandro Goes, 21, afirma que o curso técnico será seu passaporte para a ingressar na faculdade de Oceanografia. “Tudo que vou aprender neste curso vai dar uma base teórica e prática muito grande para a minha futura formação acadêmica. Esta é uma área que tenho paixão e ver meus tios pescando também me motivou muito a me especializar e a seguir neste caminho profissional”, destaca, empolgado.

Segundo a diretora da Superintendência de Educação Profissional e Tecnologia do Estado, Danile Sanches, a oferta está vinculada às demandas geradas pelo desenvolvimento socioeconômico e ambiental nos Territórios de Identidade e cadeias produtivas locais. “Esta oferta atende, ainda, às especificidades das diferentes juventudes da Bahia, possibilitando a conciliação do trabalho com a Educação e a valorização do conhecimento do aluno numa interação entre a escola, a família e a comunidade”, afirma, ao acrescentar que “o curso irá contribuir, também, para a elevação da autoestima dos jovens em relação à profissão de pescador e corroborar com a possibilidade da permanência do jovem no território e a continuidade dos seus estudos”, ressalta.

O presidente da Bahia Pesca, Dernival Oliveira Junior, ressalta a importância desta parceria. “Muitos destes estudantes são filhos de pescadores e marisqueiras e este curso vai agregar muito na profissão dos pais. Com esta parceria, vamos oferecer técnicos qualificados para desenvolverem suas atividades nesta região que é muito rica”, destaca.

O diretor do CEEP em Turismo do Leste Baiano, Cristiano Vitório, acredita que o curso impulsionará o desenvolvimento da região. “Apostar nos arranjos produtivos locais possibilita à nossa comunidade o fortalecimento da economia e potencializa o crescimento da comunidade como um todo, porque cada estudante que volta para a sua comunidade agrega valor ao fazer da cultura dele”, garante o gestor.

O curso terá 60 estudantes, com carga horária de 1.460 horas, dividida em 12 meses. Entre as disciplinas estudadas estão métodos de reprodução, sistema de cultivos, larvicultura de peixes, biologia aquática e avaliação de impactos ambientais. A formação possibilitará aos futuros técnicos trabalharem em instituições e empresas de produção e beneficiamento de pescado, laboratórios de reprodução, larvicultura e engorda ou de forma autônoma.
Comentários
0 Comentários

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Facebook

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...