Analytics

menu

Image Map

segunda-feira, 26 de novembro de 2018

Valorizado e respeitado por Andrés. E Carille aceita voltar

Foto: Reprodução
Um enorme e caro erro. É esta a maneira com que conselheiros do Corinthians tratam da busca pela recontratação de Fábio Carille.O treinador, campeão brasileiro e bicampeão paulista, foi desprezado pela diretoria em maio. O presidente Andrés Sanchez não se importou com o anúncio do técnico de que havia acertado sua ida para o Al Wehda, da Arábia Saudita. Muito pelo contrário. Até se sentiu aliviado. Porque ele tinha muito mais afinidade com Osmar Loss do que com Carille. O técnico que acabara de vencer o Paulista foi embora. Ele recebia R$ 300 mil. Saiu para ganhar cerca de R$ 1 milhão mensais. Levou o preparador de goleiros Mauri Lima, o auxiliar técnico Leandro da Silva, o preparador físico Walmir Cruz, o observador técnico e ex-jogador Mauro da Silva e o analista de desempenho Denis Luup. A saída em massa foi desastrosa.

O trabalho de Osmar Loss pior ainda. Jair Ventura foi contratado. Chegou com a promessa de que teria dificuldades neste término de ano. O elenco estava muito fraco depois dos desmanches feitos por Sanchez.Mas em 2019 tudo seria diferente. E será. Ventura está indo mal demais no clube. Pior do que a diretoria possa tolerar. Há uma crise entre as organizadas e a diretoria. Os torcedores não aceitam a fraca campanha corintiana. Nem o fato de o clube estar fora da Libertadores de 2019. Exigem a saída imediata de Ventura. Em 18 partidas, foram quatro vitórias, seis empates e oito derrotas. O diretor de futebol Duílio Monteiro Alves é a voz da diretoria em relação a Jair Ventura.

Ele já garantiu que o treinador ficaria em 2019. Mas mudou seu discurso. Diz que o técnico será avaliado pelo desempenho do time ao final da temporada. Mas há consenso para a demissão assim que o Brasileiro acabar. Andrés teve de baixar a guarda. E pediu arrego para o empresário de Carille, Paulo Pitombeira. Quer sua volta em 2019. Acontece que Fábio está descontente na Arábia Saudita. O motivo é a fraca infraestrutura do Al Wehda. Há dois obstáculos. O primeiro, uma multa de R$ 2,7 milhões. O segundo, seu salário. Aceitando voltar ao Brasil, Carille quer pelo menos R$ 600 mil. Ou seja, o dobro do que recebia. Pressionado, Andrés Sanchez aceita pagar.

Mas há mais gastos. Jair Ventura assinou até dezembro de 2019. E vai querer receber por este período se for mandado embora. Carille aceita voltar. Mas quer ser valorizado. Andrés mandou avisar que será. Carille já está tentando se livrar do clube árabe. A situação toma contornos definitivos. Tudo leva a crer que Jair Ventura se despede apó o jogo contra o Grêmio. O treinador está muito magoado. Acreditou que Andrés Sanchez deveria mantê-lo no próximo ano. Ele sabia que a campanha seria fraca porque o time é fraco. Mas o presidente usa como escudo a fraca campanha do treinador. A troca de técnicos está em andamento. E Jair que se prepare. Amigos de Carille garantem que ele voltará. Como queria. Valorizado financeiramente. E respeitado por Andrés Sanchez...

Fonte: R7
Comentários
0 Comentários

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Facebook