Analytics

menu

Image Map

sábado, 15 de dezembro de 2018

Parlamentares baianas rebatem declarações polêmicas de Damares

Foto: Reprodução
A futura ministra das Mulheres, Família e Direitos Humanos, Damares Alves, tem causado polêmica nas redes sociais e no meio político por declarações polêmicas. Ela já proferiu controvérsias a respeito do que compreende ser o papel da mulher na sociedade. "A mulher nasceu para ser mãe. Também, mas ser mãe é o papel mais especial da mulher. A gente precisa entender que a relação dela com o filho é uma relação muito especial. E a mulher tem que estar presente", disse em entrevista publicada em março pelo site conservador Expresso Nacional. Outra prioridade da gestão será a defesa do "direito à vida". A futura ministra é contra a legalização do aborto. "Nós queremos um Brasil sem aborto.

Um Brasil que priorize políticas púbicas de planejamento familiar. Que o aborto nunca seja considerado e visto nesta nação como um método contraceptivo". Para ela, o modelo ideal de sociedade seria um em que a mulher pudesse cuidar da casa e dos filhos, enquanto ao homem caberia o sustento da família. "Costumo brincar de como eu gostaria de estar em casa a tarde toda, em uma rede, e meu marido ralando muito para me sustentar e me encher de joias. Esse seria o padrão ideal da sociedade. Mas não é possível. Temos que ir para o mercado de trabalho", disse, na mesma entrevista. Algumas parlamentares baianas ouvidas pela Tribuna criticaram duramente as declarações. "É algo exótico, deselegante. Não dialoga com a realidade brasileira.

Essa pessoa não tem condições de assumir tarefas de Estado. No Brasil, inclusive, mulheres que sofrem estupro são vítimas de crimes. Como você vai oferecer valores para que essa mulher se cale e tenha um filho de um estuprador? Ela está proferindo ilegalidades e absurdos contra direitos que já são consagrados na legislação brasileira e já firmados pelo Supremo Tribunal Federal. Ela precisaria ser interditada", disse a deputada federal Alice Portugal (PCdoB). Para ela, as declarações polêmicas de Damares podem gerar questionamentos jurídicos na Justiça. "O movimento feminista já tem discutido isso. Há uma verdadeira avalanche de declarações desastrosas. É estarrecedor. É algo absolutamente fora de padrão".

Segundo a senadora Lídice da Mata (PSB), o espaço da política é um espaço masculino e discriminador. "Basta ouvir a manifestação da pessoa que está sendo indicada para ser ministra da cidadania, que diz que lugar de mulher é dentro de casa, cuidando dos filhos. Se há na sociedade a possibilidade de expressão política de um pensamento, através de uma pessoa que pretende ser ministra da mulher, que parte do princípio que o lugar da mulher é dentro de casa, não sei o que ela está fazendo fora de casa e dentro de um ministério". Damares também tem causado polêmica por declarações do passado.

Em um vídeo que circula nas redes sociais, ela diz durante um culto evangélico que viu Jesus Cristo em cima de um pé de goiaba, aos 10 anos, quando pensou em se matar. A futura ministra tem experiência de mais de 20 anos como assessora jurídica no Congresso Nacional. Seu último cargo foi no gabinete do senador Magno Malta (PR-ES), aliado de Bolsonaro que acabou ficando de fora do novo governo.

Fonte: Tribuna da Bahia 
Comentários
0 Comentários

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Facebook