Analytics

menu

Image Map

terça-feira, 9 de julho de 2019

MP diz que pelo menos 14 cidades baianas não checam presença de agrotóxico na água

Foto: Reprodução 
Quatorze municípios baianos não fazem monitoramento da presença de agrotóxicos na água conforme o exigido por lei.

A conclusão é do Núcleo de Defesa da Bacia do São Francisco (Nusf) do Ministério Público do Estado (MP-BA). Os dados foram informados durante o Fórum Baiano de Combate aos Impactos dos Agrotóxicos.

Ainda segundo o MP-BA, oito, dos 10 agrotóxicos mais usados na região do São Francisco, não passam pelo monitoramento da Embasa [Empresa Baiana de Águas e Saneamento]. O motivo: os produtos não constam na portaria do Ministério da Saúde, que lista os princípios ativos a serem fiscalizados.

Segundo a coordenadora do fórum, a promotora de Justiça Luciana Khoury, o risco de presença de agrotóxico na água consumida na Bahia é muito grande. “Uma alternativa é fomentar uma agricultura mais limpa, livre de veneno, reduzindo o uso desses produtos químicos”, disse.

A promotora apontou ainda para a “falta de rigor” para checar a presença dos agrotóxicos no país. “Um exemplo é o glifosfato, que no Brasil é aceito em uma proporção 500 vezes superior à permitida na maioria dos outros países”, afirmou.

Fonte: Forte na Notícia
Comentários
0 Comentários

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Facebook