Analytics

menu

Image Map

sábado, 30 de novembro de 2019

“Ele foi interrogado, mas preferiu permanecer calado”, diz delegado sobre acusado de matar estudante da UFRB

Foto: Reprodução
Acompanhado de um advogado, José Alexandre Passos Góes Silva, 34 anos, assassino da estudante Elitânia de Souza da Hora, 25, apresentou-se espontaneamente, no início da tarde desta sexta-feira(29), em uma delegacia de Feira de Santana, onde foi interrogado pelo delegado João Matheus e deve ficar detido na unidade prisional da cidade.

Alexandre, que é filho de um juiz aposentado, teve o mandado de prisão por feminicídio cumprido pela Polícia Civil, após ter baleado Elitânia, quando a estudante chegava em casa, por volta das 22h40, no bairro Currais Velhos, em Cachoeira. O acusado não aceitava o fim da relação e fugiu do local após o crime. Equipes da DT/Cachoeira ouviram testemunhas e realizaram buscas, no intuito de localizar o criminoso.

“Na verdade a investigação já tinha apresentado ele como o autor do crime e também essa é uma estratégia da defesa, pois apresentar uma pessoa que está com prisão decretada é interessante, principalmente para demonstrar que ele não é uma pessoa perigosa”, informou o delegado João Matheus, a reportagem do Boca de Forno News.

A Polícia Militar, em nota, informou que por volta das 23h de quarta-feira (27), a PM foi acionada sobre um homicídio de uma jovem de 25 anos, atingida por disparos de arma de fogo na cidade de Cachoeira. Segundo o delegado, em interrogatório o acusado preferiu ficar em silêncio.

“Ele foi interrogado, mas preferiu usar seu direito de permanecer calado, de só se manifestar em juízo, não falou sobre os fatos, nem negou e nem assumiu o crime. Ele permanece preso, por força de prisão preventiva, vai permanecer preso, a gente já tem elementos suficientes para indiciá-lo, aí o processo segue com o apoio da polícia e da justiça”, informou João Matheus.

A universitária era estudante do 7º semestre do curso de Serviço Social e foi assassinada às 22h50 desta quarta-feira (27), após deixar a Universidade Federal do Recôncavo da Bahia (UFRB) na Rua do Fogo, que fica perto da instituição, no Centro da cidade, a pouco metros onde morava com uma amiga num apartamento. Nos finais de semana, ela tinha o hábito de ficar com a família, que mora na Fazenda Guaíba, no Quilombo Tabuleiro da Vitória, na zona rural de Cachoeira

“Não tenho informação precisa pra qual o presídio ele vai ser levado, mas tudo indica, que ele vá ficar aqui em Feira mesmo. Infelizmente foi uma tragédia, isso não vai trazer a vida da estudante de volta, mas o crime foi elucidado, e o autor já está preso e vai responder pelo fato”

Em nota, a UFRB informou que decretou luto oficial de três dias pela morte da estudante e lamentou “as terríveis circunstâncias do crime” e pede Justiça.

“As terríveis circunstâncias do crime contra Elitânia causam tristeza e indignação de toda a comunidade acadêmica. A UFRB deposita sua confiança nas autoridades para que a justiça seja feita”, disse a instituição de ensino.

No mesmo dia do crime, o autor já tinha sido identificado. Isso foi possível através do depoimento de uma testemunha: uma colega da universidade que estava ao lado de Elitânia na hora dos disparos. Informações do Boca de Forno News.
Comentários
0 Comentários

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Facebook