Analytics

menu

Image Map

quinta-feira, 28 de novembro de 2019

Presidenta do Sindicato dos Mototaxistas de Feira de Santana, Hulda Barros, conquista diversos benefícios à categoria

Hulda Barros | Fotos: Arquivo pessoal
A Presidenta do Sindicato dos Mototaxistas de Feira de Santana, Hulda Barros, ao longo do tempo a frente da entidade, vem conquistando diversos benefícios para a categoria.

Através das investidas de Hulda, junto com a classe, os mototaxistas de Feira estão conseguindo o tão sonhado alvará, onde eles não precisarão mais passar por processos licitatórios e pagamentos de aditivos.

Do ano de 2001 a 2009 as motocicletas dos mototaxistas não tinham a placa de aluguel (placa vermelha) - na época a placa era cinza. A partir de 2009, após o segundo processo de licitação do município, Hulda lutou com a categoria e obtiveram a primeira conquista através da mudança da cor.

Após outras conquistas, nos preparativos da criação da Lei que permite o alvará, Hulda solicitou a ampliação do número de vagas de mototaxistas no município de 500 para 750.

De acordo com as exigências da Lei para a obtenção do alvará, os mototaxistas têm que ter um curso especializado em condução de passageiros. Hulda Barros conseguiu com o Sest Senat de Feira de Santana a formação de turmas para realização desta capacitação profissional necessária e importante para o bom andamento do serviço. Os mototaxistas também conquistaram a possibilidade de se associarem e usufruírem de todos os serviços do órgão, além do uso da área social, de saúde e esporte do Sest.
No decorrer do processo de inscrição para obtenção do alvará, Hulda conseguiu a isenção do Imposto Sobre Serviço (ISS) de 2016 a 2019 para os mototaxistas permissionários do ano de 2009.

Ainda no processo de credenciamento, Hulda Barros conseguiu parcerias para os mototaxistas reduzirem os custos dos documentos solicitados e também parcerias com empresas concessionárias de motos.

Houve uma dificuldade por parte da maioria dos mototaxistas no credenciamento para o alvará, pois, há a exigência de apresentar o documento (CRLV) da moto com no máximo 5 anos de fabricação. Devido ao curto espaço de tempo para comprar uma moto e apresentar o documento, Hulda solicitou e foi atendida pelo Secretário de Transporte e Trânsito, Saulo Figueiredo, e agora os mototaxistas podem apresentar a nota fiscal da motocicleta (se esta for zero km) ou o Documento Único de Transferência (DUT) assinado, se comprada semi-nova.

Atendendo outra solicitação de Hulda, foi prorrogado o prazo para entrega dos documentos para obtenção do alvará - a data limite era 22/11 e foi para o dia 20/12.

Através deste texto enumerando as vitórias da categoria com Hulda a frente do Sindicato, os motataxistas agradecem grandiosamente a força e a coragem desta mulher.
Comentários
0 Comentários

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Facebook