Analytics

segunda-feira, 27 de janeiro de 2020

Maragogipe: Prefeita tenta proibir festa tradicional de Nagé e gera revolta de nativos; ex-vereador registra queixa contra ela por agressão

Prefeita Vera Lúcia (Vera da Saúde) | Foto: Reprodução
A prefeita de Maragogipe, Vera Lúcia (Vera da Saúde), cometeu uma (mais uma) verdadeira tragédia política que só fez piorar a sua popularidade.

No último sábado (25/01), a gestora tentou proibir a realização de um festejo centenário, que ocorre no distrito de Nagé, a Festa de Senhor do Bonfim de Nagé. O evento nesta data estava sob responsabilidade de uma comissão de eventos comunitária formada por membros da paróquia local, pescadores, marisqueiras e nativos.

Estava tudo pronto, palco montado, som, iluminação, ambulantes preparados para vender seus produtos, quando de repente chega a Polícia Militar, com diversas viaturas, dizendo que o evento seria interditado por determinação da prefeita Vera, sob a alegação de que a estrutura não tinha alvará expedido pela prefeitura.

A população se revoltou. Houve tensão e o vereador Juninho da Colônia que apoiou a interdição levou ovada.

“Ora, se esse evento é realizado pela comunidade nativa há mais de 100 anos, por que este ano seria proibido pela prefeitura? Isso é um absurdo”, esbravejava, aos prantos, um ambulante que havia tomado dinheiro emprestado para comprar bebidas e revender no evento.

A informação que se espalhou na comunidade é que a prefeita tentou interditar a festa por questões políticas, já que o evento teve o apoio de lideranças da oposição, como o ex-vereador Didi e o ex-prefeito Silvio Ataliba. Como a prefeita se recusou a patrocinar a festa no sábado, o ex-vereador Didi conseguiu uma emenda parlamentar com a deputada estadual Fabíola Mansur, que destinou recursos através da Bahiatursa para garantir a realização do festejo.

No dia seguinte, após a procissão, o vereador Juninho da Colônia tentou fazer um pronunciamento para tentar justificar o imbróglio, mas não conseguia sequer terminar uma frase. Foi rechaçado e vaiado. O adjetivo mais singelo que recebeu foi “mentiroso”.

Para fechar a novela, a prefeita, enfurecida, antes de escapar do local, teria ameaçado o ex-vereador Didi, que registrou queixa na delegacia contra Vera da Saúde. Veja o registro abaixo:
Comentários
0 Comentários

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Facebook