Analytics

quinta-feira, 19 de março de 2020

Sobe para 30 número de casos confirmados do coronavírus na Bahia, diz Sesab

Foto: Reprodução
A Secretaria da Saúde do Estado da Bahia (Sesab) confirmou outros 3 casos de contaminação por coronavírus no estado, no início da tarde desta quinta-feira (19). Com isso, o total vai para 30 registros de pacientes contaminados pela Covid-19.

Dos três novos casos, dois são em Lauro de Freitas, cidade da região metropolitana de Salvador, onde ainda não havia casos confirmados. No total, a Bahia contabiliza 30 casos, sendo nos municípios de Salvador (18), Feira de Santana (5), Porto Seguro (4), Lauro de Freitas (2) e Prado (1). De janeiro até às 14 horas desta quinta-feira (19), a Bahia registrou 998 casos notificados com suspeita clínica de infecção pelo novo coronavírus.

Destes, 30 foram confirmados, 443 foram descartados e 525 aguardam análise laboratorial. Em entrevista coletiva, o secretário de Saúde da Bahia, Fábio Vilas-Boas, informou que a Bahia tem uma média de incremento diário no número de casos de confirmados em torno de 50% em relação ao dia anterior. “O que nos faz antever que passaremos dos 100 casos em todo estado da Bahia neste fim de semana”, afirmou. O secretário ainda alertou que, nesse momento, a doença está evoluindo com progressão rápida e que as medidas estão sendo tomadas para reduzir a velocidade.

“A mais eficiente dela é ficar longe de outras pessoas. Quem contamina são as pessoas, não é o inseto, como a dengue. É preciso que alguém lhe contamine com a gotícula de saliva. Para isso, você precisa estar perto de outra pessoa. Ou se a pessoa eliminou alguma secreção em uma superfície e você passou a mão, vai se contaminar”, disse. “Para que você não passe para outras pessoas, é importante que você deixe de ir trabalhar, caso tenha uma gripe. Independentemente de fazer o teste.

Se está com tosse, coriza, fica em casa. Os empresários estão autorizados a abonar as faltas”, falou o secretário. O diagnóstico positivo para o novo coronavírus pode cursar com grau leve, moderado ou grave. A depender da situação clínica, pode ser atendido em unidades primárias de atenção básica, unidades secundárias ou precisar de internação. Mesmo definindo unidades de referência, não significa que ele só pode ser atendido em hospital. Os casos graves devem ser encaminhados a um hospital de referência para isolamento e tratamento. Os casos leves devem ser acompanhados pela Atenção Primária em Saúde (APS) e instituídas medidas de precaução domiciliar.

Fonte: Voz da Bahia 
Comentários
0 Comentários

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Facebook