Diário da Notícia | Recôncavo Baiano - Rubem Júnior
Foto: Reprodução
O presidente Jair Bolsonaro (sem partido) criticou a questão do Enem (Exame Nacional do Ensino Médio) deste domingo (17) que abordou a desigualdade de gênero com um texto sobre a diferença salarial entre os jogadores de futebol Neymar e Marta, eleita seis vezes pela Fifa a melhor jogadora do mundo.

Pressionado por causa do fracasso do governo no enfrentamento à pandemia de Covid-19, Bolsonaro direcionou sua conversa com apoiadores no Palácio da Alvorada, nesta segunda-feira (18), a temas que agradam a sua base ideológica. 

“Você tem que dar educação para o povo. Educação, não. Conhecimento. Quem dá educação é a família. Dá conhecimento para o pobre”, começou Bolsonaro. “Você vê as provas do Enem. O banco de questões do Enem não é do meu governo ainda, é de governos anteriores. Tem questões ali ridículas ainda, ridículas, tratando de assuntos… Comparando mulher jogando futebol e homem, por que a Marta ganha menos que o Neymar”, disse Bolsonaro. “Não tem que ter comparação. O futebol feminino ainda não é uma realidade no Brasil. O que o Neymar ganha por ano todos os times de futebol junto no Brasil não faturam por ano.

Como que vai pagar para a Marta o mesmo salário? Isso chama-se iniciativa privada. Ela que faz o salário, ela que mostra para onde o mercado deve ir”, prosseguiu Bolsonaro, que concluiu referindo-se a este tipo de questões na prova como “absurdas”. Em 2018, Marta, camisa 10 da Seleção Brasileira, foi eleita pela sexta vez a melhor jogadora do mundo. No início deste mês, a jogadora anunciou que está noiva da zagueira americana Toni Deion.


Fonte: BN

Facebook