Diário da Notícia | Recôncavo Baiano - Rubem Júnior
Foto: Reprodução
Todo o insumo disponível no Instituto Butantan, em São Paulo, já foi envasado na fabricação de doses da vacina CoronaVac e as máquinas utilizadas no processo estão paradas desde o último domingo (17). O instituto está aguardando a chegada de mais matéria-prima da China para continuar a produção.

O governador de São Paulo, João Doria (PSDB), disse hoje, durante uma coletiva de imprensa no interior do estado, que tem mantido contato com autoridades chinesas e aguarda uma resposta do governo da China em até 48 horas. 

“Temos dialogado com a embaixada da China, com o consulado da China e com o governo chinês com o qual mantemos ótimas relações e sempre mantivemos para termos a liberação dos novos insumos que o Instituto Butantan já encomendou ao laboratório chinês Sinovac e que estão prontos em Pequim para serem embarcados para São Paulo”, disse. 

O Butantan acredita que os 5,4 mil litros de insumo cheguem ao Brasil até o final de janeiro, além de 5,6 mil litros até o dia 10 de fevereiro.


Fonte: BNews

Facebook