Foto: Corinna Kern/Reuters

A advogada Andressa Cavalcante, que mora em TelAviv, em Irsael, relatou a normalização da rotina após o país registrar 70% da população imunizada. Ela afirmou que bares e restaurantes já estão funcionando normalmente, e que espaços públicos são frequentados sem restrições.

“Estamos voltando ao estilo de vida normal. A situação aqui está melhorando, antes era só delivery. As pessoas ainda usam máscara mas as pessoas já frequentam a praia, e praticamente tudo está voltando ao normal. Nos aeroportos ainda há burocracias para entrar no país porque houve as mutações da covid e eles estão com receio”, detalhou ela ao De Olho na Cidade.

Andressa deu mais detalhes sobre a atuação do país que fica no oriente médio e desejou que a situação também seja regularizada no Brasil. “Nos hospitais daqui, graças a Deus não houve muito problema porque eles lançaram um projeto muito bom em relação a prevenção e também houve o lockdown”, afirma.

“Eu tive covid, o médico me acompanhava de forma virtual. Fiquei dentro de casa, não saia e as pessoas que moravam comigo ficaram de quarentena também. O plano reduziu o número de casos e a vacinação agregou ainda mais. Eu posso dizer que o número de óbitos aqui é baixo e o país em relação a tudo é bem desenvolvido”, completa.

Vacinação em Israel

Desde dezembro, Israel já vacinou cerca 5,2 milhões de um total de 9 milhões de habitantes. À medida que a vacinação acelerou, o país deu o maior passo de sua reabertura, no início de março, e agora se prepara para a quarta disputa eleitoral em menos de dois anos.

Comer dentro e fora de restaurantes - para quem tem o "passaporte verde" da imunização - agora é de novo uma realidade, assim como visitas a hotéis e centros de eventos. Reuniões de mais de 20 pessoas em locais fechados e de até 50 em áreas abertas voltaram a ser permitidas. E comícios políticos para as eleições atraíram centenas de eleitores.

Postagem em destaque

Facebook