Foto: Reprodução

O encontro do presidente Jair Bolsonaro (sem partido) com a então cotada para assumir o Ministério da Saúde, a médica cardiologista Ludhmila Hajjar, que aconteceu ontem (15) no Planalto, foi marcado por desentendimentos. 

Em determinado momento, o presidente chegou a se dirigir a Ludhmila e perguntar: “Você não vai fazer lockdown no Nordeste para me foder e eu depois perder a eleição, né?”. A informação é do portal Poder360. 

Ludhmila teria afirmado que as medidas de distanciamento mais restritivas deveriam ser tomadas em situações extremas, em locais em que o número de doentes e de mortes exigisse isso. Ao que Pazuello respondeu dizendo que governadores estavam mentindo sobre a taxa de lotação de Unidades de Terapia Intensiva (UTI) e outras estatísticas. A médica expressou descrença sobre isso.

A cardiologista também confirmou que recusou o convite do presidente Jair Bolsonaro para assumir o Ministério da Saúde, e disse ainda que sofreu ameaças de morte após ser cotada para chefiar a pasta. Segundo Ludhmila, ela teve o número de celular divulgado em diversos grupos de WhatsApp pelo Brasil, recebendo diversas mensagens ofensivas e, que foi perseguida em um hotel que estava hospedada.

Fonte: Metro 1

Facebook