Diário da Notícia | Recôncavo Baiano - Rubem Júnior
Foto Reprodução:
O presidente Jair Bolsonaro (sem partido) voltou a criticar a abertura da CPI da Covid no Senado e afirmou que a determinação do ministro do Supremo Tribunal Federal (STF) Luís Roberto Barroso tinha sido uma “interferência” junto ao Legislativo para atingi-lo.

Em conversa com apoiadores nesta quarta-feira (14) ele defendeu a investigação de governadores. “É uma interferência, sim, desse ministro (Barroso) junto ao Senado, para me atingir. Agora, repito: a temperatura está subindo e a população está em uma situação cada vez mais complicada. (…) Há alguma notícia de desvio da minha parte? Uma que seja (dizendo que) desviei R$ 1? Zero. 

O autor da proposta de CPI, Randolfe Rodrigues (Rede-AP), (disse servir para) ‘apurar as omissões do presidente’. É fazer palanque. Eu não vou interferir, nem posso, nem iria interferir no Senado Federal”, afirmou. 

“Por que investigar omissões minhas e não de quem pegou dinheiro na ponta da linha? Mandamos recursos e fizeram hospitais de campanha maravilhosos. Não são todos [os governadores]. É uma minoria, mas fizeram a festa”, completou.



Fonte: bahia.ba

Facebook