Diário da Notícia | Recôncavo Baiano - Rubem Júnior
Foto: Reprodução 
Israel voltou a promover uma onda de ataques aéreos na Faixa de Gaza nesta quinta-feira (20), matando pelo menos um palestino e ferindo vários outros. Na quarta-feira (19), um ataque aéreo matou um deficiente físico, sua esposa grávida e a filha de 3 anos. 

Os ataques ocorrem após o presidente dos Estados Unidos, Joe Biden, pedir uma “significativa desescalada para encaminhar um cessar-fogo” com o Hamas, que controla Gaza. 

Apesar do pedido dos EUA, que é o principal aliado de Israel, o primeiro-ministro Benjamin Netanyahu disse que está “determinado” a continuar ofensiva “até que seu objetivo seja alcançado”. 

Foi a primeira divergência pública entre os dois aliados desde o início dos confrontos, o que complica os esforços internacionais para chegar a um cessar-fogo. 

Explosões sacudiram a Cidade de Gaza, a maior da Faixa de Gaza, logo no começo da manhã. Israel fez pesados ataques aéreos pesados em uma rua comercial da cidade, e chamas laranja iluminaram o céu. 

Há relatos de ataques aéreos também nas cidades de Deir al-Balah e Khan Younis. À medida que o sol nascia, moradores de Khan Younis examinavam os escombros de pelo menos cinco casas destruídas. 

Os militares israelenses dizem ter atingido ao menos quatro casas de comandantes do Hamas, visando “infraestrutura militar”, e também uma unidade de armazenamento de armas na casa de um combatente do Hamas na Cidade de Gaza. 

Um dos ataques destruiu a casa de dois andares da família Khawaldi em Khan Younis. Os 11 moradores, que estavam dormindo em uma área separada por medo, ficaram feridos e foram levados ao hospital, segundo Shaker al-Khozondar, um vizinho.

Estilhaços atingiram a casa de sua família, que fica ao lado, matando sua tia Hoda al-Khozondar e ferindo sua filha e dois primos. O porta-voz de um hospital próximo confirmou uma morte e disse que pelo menos 10 pessoas ficaram feridas em ataques durante a noite.



Fonte: G1

Facebook