Diário da Notícia | Recôncavo Baiano - Rubem Júnior
Foto: Reprodução 
O presidente Jair Bolsonaro (sem partido) foi alvo de panelaços durante pronunciamento em rede nacional de TV na noite desta quarta-feira (3). Os protestos foram registrados em diversas cidades do país, incluindo capitais como Salvador, Recife, Porto Alegre, Belo Horizonte, São Paulo e Rio de Janeiro.

Na capital baiana, houve panelaço em bairros como Rio Vermelho, Pituba, Canela e Campo Grande. Durante as manifestações, ouviu-se gritos de "fora, Bolsonaro" e "genocida".

O pronunciamento do mandatário ocorre em meio ao desgaste do governo causado pela CPI da Covid no Senado e poucos dias após os protestos de rua contra seu governo.

Durante uma fala de cerca de cinco minutos, o presidente prometeu que todos os brasileiros serão vacinados contra a Covid-19 ainda neste ano. Ele também destacou o avanço do PIB (Produto Interno Bruto) e voltou a criticar políticas de isolamento social.

“Neste ano, todos os brasileiros, que assim o desejarem, serão vacinados. Vacinas essas que forem aprovadas pela Anvisa”, disse Bolsonaro. 

Desgaste diante de uma gestão errática da crise sanitária pelo governo, marcada sobretudo pela demora na aquisição de imunizantes, exaltou o contrato firmado entre o governo e a Fiocruz que garante a fabricação da vacina AstraZeneca em território nacional.

Bolsonaro lamentou pelas vítimas do coronavírus. “Sinto profundamente por cada vida perdida em nosso país. hoje alcançamos a marca 100 milhões de doses de vacinas distribuídas a estado e municípios”, afirmou no dia em que país atingiu a marca de 467 mil mortes pela doença. 

No pronunciamento, o chefe do Executivo federal também voltou a atacar, de forma indireta, governadores e prefeitos que vêm atotando medidas de isolamento para conter pandemia, o que, segundo ele, prejudicou a economia do país. “O nosso governo não obrigou ninguém a ficar em casa. Não fechou o comércio, não fechou igrejas ou escolas e não tirou o sustento de milhões de trabalhadores informais”, criticou.

“Sempre disse que tínhamos dois problemas pela frente: o vírus e os empregos, que deveriam se tratados com a mesma responsabilidade e de forma simultânea”, acrescentou Bolsonaro. Ele, por outro lado, destacou o crescimento em 1,2% do PIB. “O PIB projetado para 2021 prevê um crescimento da economia superior a 4%. Só no 1º trimestre deste ano, a economia mostrou seu vigor, estando entre os países do mundo que mais cresceram”, declarou.



Fonte: Metro 1

Facebook