Foto: Divulgação
Pai Amor e Tikal Babado, brilhantes morador_s do Recôncavo da Bahia, são protagonistas das fotos performances que compõem o fotolivro digital “Armadura Queer: Amor, Babado e a subjetividade de seus corpos adornados”, com lançamento previsto para o dia 25 de junho, às 19h.

O projeto se faz como afluente do conceito de “Armadura Queer” criado por Baga de Bagaceira Souza Campos (in memorian) - Drag performer, intelectual e importante ativista LGBTQIA+. As fotografias e o conceito apresentam a vestimenta como comunicação social sob o recorte gênero, sexualidade e raça, propondo um diálogo insubmisso e apoio ao direito de existir e expressar de Babado e Amor, e de todo público LGBTQIA+.

O fotolivro é proposto pela fotógrafa, pesquisadora e artista visual Silvia Leme e traz fotografias realizadas em 2019, inspiradas pelas cores, amarrações e criações com tecidos de Tikal e Amor como forma de enfrentamento de suas existências singulares, nas cidades de Cachoeira e São Félix, durante o processo de pesquisa da dissertação de Bagaceira, intitulada “Choqueer de Monstros: Tikal Babado e Pai Amor e os modos de sentir e perceber suas vestes em Cachoeira-BA” realizada no Curso de Pós-Graduação em Comunicação e Sensibilidades no UFRB - CAHL. 

Interessa a esta produção exaltar a potência das dignas existências e exaltar os modos como Babado e Amor agem, sentem e percebem a própria vestimenta enquanto expressão, resistência e enfrentamento, enquanto Armadura, frente aos muitos processos de violência e marginalização que há tantos anos agem contra corpos dissidentes de gênero, sobretudo aqui, corpos negros. 

Armadura Queer conta com apoio, curadoria e prefácio do artista baiano Ayrson Heráclito e textos de Silvia Leme e Hanna Cláudia Rodrigues, além de falas transcritas das protagonistas e citações das pesquisas de Bagaceira.

Para a autora, Silvia Leme: "Este é um projeto que pretende realizar uma pequena parte dos sonhos idealizados junto a Baga e que, infelizmente, foram tragicamente interrompidos pela fatídica falta de ar que ceifou tantas vidas em 2020 e 2021. Esta obra tem forte motivação afetiva e se fará também como homenagem e coro à esta vida e voz tão ativa na luta a favor do direito de existir da comunidade LGBTQIA+ e tão significativa para nós", destacou a autora.

Junto ao fotolivro, será lançado o site www.armaduraqueer.com.br com link para visualização e download gratuito. O site contará ainda com um memorial sobre a vida e a obra de Baga de Bagaceira.

O projeto recebeu Prêmio das Artes Jorge Portugal na categoria Artes Visuais e conta com apoio financeiro do Estado da Bahia através da Secretaria de Cultura e da Fundação Cultural do Estado da Bahia (Programa Aldir Blanc Bahia) via Lei Aldir Blanc, direcionada pela Secretaria Especial da Cultura do Ministério do Turismo, Governo Federal.

Sobre a autora

Silvia Leme é Bacharela e pesquisadora em Artes Visuais pela UFRB - Universidade Federal do Recôncavo da Bahia. Participa do GP Áfricas nas Artes e atua como profissional independente - especialmente fotografia e audiovisual, produção cultural e design. Durante sua trajetória desenvolveu diversos trabalhos fotográficos e audiovisuais, como “Canto para Curar - Mateus Aleluia Filho e Bárbara Uila” e “A voz de Iyá”; ministrou oficinas de fotografia em Pontos de Cultura de Cachoeira, como a Casa do Samba de Dona Dalva Damiana e Casa de Barro; atuou, também, como diretora de fotografia dos premiados filmes "O arco do Medo" e “Arco do Tempo” de Juan Rodrigues, ambos parte da trilogia da bicha preta e tem fotografias publicadas na revista/antologia poético-fotográfica Profundanças 3 e na Revista REBEH.

Serviço:

O que: Lançamento do fotolivro Armadura Queer: Amor, Babado e a subjetividade de seus corpos adornados

Quando: 25 de junho de 2021 às 19h

Onde: www.armaduraqueer.com.br

Instagram: @armaduraqueer

Quanto: Gratuito

Facebook