Analytics

menu

Image Map

quarta-feira, 4 de janeiro de 2017

Feira: Polícia divulga foto de acusado de atear fogo e matar cinco pessoas da família

Fotos: Arquivo pessoal
A polícia divulgou na manhã desta quarta-feira (4) o retrato de Gilson de Jesus Moura, 49 anos, acusado de atear fogo na residência onde morava e matar cinco pessoas da família. O crime bárbaro aconteceu na madrugada de hoje, por volta das 4h40, no residencial Alto do Rosário, localizado no bairro Mangabeira, em Feira de Santana.

Após a chacina, Gilson fugiu em um Gol vermelho de placa HZT-7123. Morreram carbonizados no incêndio os três filhos menores do acusado: Thays de Jesus Moura, 13 anos, Carlos Alexsandro de Jesus Moura, 9 anos, e Xayane Vitória de Jesus Moura, 8 anos, além da enteada de 16 anos, Emile de Jesus Moura, que estava grávida de cinco meses, e o filho dela, Enzo, de apenas 1 ano.

A Polícia Militar pede que quem tiver informações sobre o paradeiro de Gilson de Jesus Moura, faça uma denúncia anônima, através do disque-denúncia 181.
Acusado com os filhos. Garotinho morreu carbonizado. Menina está em estado grave com o rosto desfigurado
A esposa do acusado, Ana Cristina de Jesus, 37 anos, e a filha Aila Daniela de Jesus Moura, 3 anos, também estavam na residência, mas foram socorridas por vizinhos que arrombaram a porta e conseguiram salvá-las. A mulher foi encaminhada para o Hospital Geral Clériston Andrade, e a criança para o Hospital Estadual da Criança, ambas em estado grave. A menina teve o corpo queimado e o rosto desfigurado por conta das chamas que a atingiram.

Crime premeditado

Na casa onde o crime aconteceu funcionava um bar e mercearia. O capitão da PM, Fábio Silva, foi informado por vizinhos que Gilson tinha ciúmes da mulher e vinha discutindo com ela desde o último domingo (1). Vizinhos disseram também que o acusado já tinha ameaçado matar a família e, na segunda-feira (2), comprou um galão com cinco litros de combustível e levou para casa. “Na madrugada de hoje, usando o combustível, ele ateou fogo na casa”, informou ao Acorda Cidade o capitão.

O delegado Gustavo Coutinho, que se dirigiu à cena do crime, acrescentou que Gilson discutiu com a mulher na noite de Ano Novo, por ela ter se excedido na bebida. Na segunda-feira (2), por volta das 4h, o acusado saiu de casa sem dizer para onde ia e retornou à tarde. O casal discutiu novamente e na terça-feira (3) ele revelou a uma mulher, de prenome Rosa, que iria cometer uma tragédia e se suicidar logo em seguida. “Foi o que ele fez. Mas até o momento não o encontramos e não sabemos o que aconteceu”, afirmou.

Mulher implorou pelos filhos

O delegado Gustavo Coutinho revelou ainda que a esposa de Gilson contou à polícia, na maca do hospital, que o marido foi até o quarto onde ela estava e jogou o combustível nas pernas dela. Em seguida, ele foi até o quarto dos filhos e jogou o produto nos corpos deles e no da enteada.

“No momento em que ele jogava o combustível em cima dela, ela implorava que não matasse os filhos. Que fizesse o que quisesse com ela, mas não com os filhos. Ele ateou fogo nos corpos dos filhos e da enteada e trancou o quarto. Incendiou a residência e fugiu. Foi uma chacina. Um quíntuplo homicídio, um aborto e duas tentativas de homicídio. Já ouvimos vizinhos e parentes e estamos empenhados no encalço desse assassino, para tentar colocá-lo o mais rápido possível atrás das grades”, informou o delegado.

Ainda conforme Gustavo Coutinho, o crime chocou os vizinhos, que contaram que o casal tinha brigas normais e era considerado tranquilo. Eles não esperavam uma tragédia como essa.

“Não tem como não ficar chocado com uma situação dessa, principalmente quando as vítimas são crianças indefesas, que não têm como se defender. Uma coisa muito trágica para a família. Tem a criancinha ainda que está em estado grave com o rosto desfigurado. Mas faz parte do nosso trabalho, temos que investigar e sermos fortes. E pedimos a ajuda da sociedade para poder prender esse indivíduo”, disse o delegado Gustavo Coutinho.

Saiba mais sobre a tragédia:

Um homem identificado como Gilson de Jesus Moura, 49 anos, é acusado de atear fogo na casa onde residia com a família, no bairro Mangabeira, em Feira de Santana, por volta das 4h40 desta quarta-feira (4). Segundo o Corpo de Bombeiros, cinco corpos foram encontrados no interior da residência, localizada no residêncial Alto do Rosário, inclusive de crianças. Duas pessoas ficaram feridas.

Morreram no incêndio Thays de Jesus Moura, 13 anos, Carlos Alexsandro de Jesus Moura, 9 anos, e Xayane Vitória de Jesus Moura, 8 anos, filhos do acusado; a enteada dele, Emile de Jesus Moura, 16 anos, que estava grávida de cinco meses, e o filho de Emile, de prenome Enzo.

Vizinhos informaram ao Acorda Cidade que depois de atear fogo na casa, ele trancou a família e fugiu em um carro.

Os vizinhos arrombaram a porta e tentaram salvar as vítimas, mas conseguiram retirar apenas a esposa dele, Ana Cristina de Jesus, 37 anos, e Aila Daniela de Jesus Moura, 3 anos. Elas foram socorridas para o Hospital Geral Clériston Andrade (HGCA) e o Hospital Estadual da Criança (HEC). O estado de saúde não foi informado.

O Corpo de Bombeiros esteve no local e debelou as chamas. “Segundo informações de vizinhos, ele já tinha prometido que iria cometer uma chacina com a família. Já estava discutindo com a esposa desde domingo e teria levado a gasolina para a residência na segunda-feira. Na madrugada de hoje, usando o combustível, ele ateou fogo na casa. Os vizinhos disseram que ele sentia ciúmes da mulher e tinha intrigas com a enteada”, informou ao Acorda Cidade o capitão da Polícia Militar, Fábio Silva.

Segundo a polícia, o acusado fugiu em um veículo VW, Gol, cor vermelha, placa de identificação com números 1723. As guarnições da 66 ª Companhia Independente da Polícia Militar (CIPM) realizaram diligências em busca do autor, mas até o momento ele não foi preso. Na residência onde o crime aconteceu funcionava um bar e mercearia.

“Ele vai pagar”, diz filho

Bastante abalado, o filho do acusado, Gilson de Jesus Moura Júnior, lamentou o fato de ter perdido as irmãs. "Eu estive aqui no final do ano, brinquei com minhas irmãzinhas, eu me relacionava bem com todos. Eu sou casado, e se eu tivesse aqui eu teria morrido também. Ele não teve pena de nenhum dos filhinhos dele, mas ele vai pagar. Eu chegava aqui e elas me abraçavam, todos gostavam de mim, a esposa dele é brincalhona. Eu estava dormindo em casa e uma pessoa bateu na porta dizendo que estava tendo um incêndio, mas eu não sabia que era nestas proporções. Ele vai pagar. Isso é falta de Deus no coração", declarou Gilson Júnior.

Fonte: Acorda Cidade
Comentários
0 Comentários

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Facebook

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...