Diário da Notícia | Recôncavo Baiano - Rubem Júnior

Imagem: abcd.org

Uma gestante muritibana reclama da falta de medicamentos na Farmácia Básica do município de Muritiba, no Recôncavo Baiano. 

Segundo ela, que está grávida de sete meses e vem enfrentando dificuldades para adquirir os medicamentos, na farmácia básica está faltando até AAS. 

"Tive na farmácia básica para pegar os seguintes medicamentos: metildopa de 250 mg com trinta comprimidos revestidos, Dormec de 100 mg, AAS, Ferronil, Sulfato Ferroso 40 mg, Afopic, ácido fólico 5 mg e não consegui nenhum," relata a reportagem da Página Impacto Notícias.

Ainda segundo a gestante, ela está contando com o apoio da família, pois, não têm condições de comprar os remédios.

"Quem está comprando os remédios é a minha mãe. Procurei saber dos funcionários da farmácia quando os medicamentos chegam e a informação que obtive é que não tem previsão da compra dos medicamentos," disse a gestante. 

A mulher reclama também que não está conseguindo marcar consultas pelo rede de saúde de Muritiba.

"Também não consigo marcar uma consulta para o Obstetrícia e Ultrassonografia no município. É lamentável essa situação na minha cidade! O dinheiro da Saúde chega todo mês - a verba é carimbada pelo governo federal. Cadê o dinheiro pra comprar os remédios?" questiona.

"A reclamação não é só minha, mas de muitos que vão na farmácia pegar os remédios e não tem. O prefeito e a Secretária de Saúde não dão uma resposta sobre a falta de remédios há dois meses no município," denuncia.

"Pagamos os nossos impostos, o salário do Prefeito, e da Secretária de Saúde," disparou a muritibana que não quis se identificar com medo de represálias.

Facebook