Analytics

sexta-feira, 24 de julho de 2020

INSS divulga novas regras de empréstimo para aposentados e pensionistas

Foto: Reprodução
O período da Pandemia da Covid-19 proporcionou o aumento de pedidos de empréstimo consignado. De acordo com um levantamento realizado pela empresa especializada em crédito consignado para terceira idade, Prestho, só no mês de março, os pedidos de empréstimos consignado cresceram 28% na plataforma online.

A pesquisa também apontou que 21,55% das solicitações de crédito são realizadas por idosos acima dos 65 anos, representando uma fatia do mercado preferida por empresas de financiamentos com facilidades a negativados. Contudo, a inadimplência dos idosos, a faixa etária que provavelmente reúne o maior número de aposentados, não é a mais elevada do País, mas foi a que mais cresceu nos últimos dois anos.

No Brasil, em um ano, a inadimplência entre pessoas com mais de 65 anos saltou de 7,31% para 11,91%. Crédito fácil, juros baixos e prazos longos são os atrativos que acabam fisgando esse público. O idoso é vulnerável e muitas vezes sofrem pressões dos familiares para pegar esse tipo de empréstimo. O volume de três milhões de idosos inadimplentes é mais da metade dos 5,2 milhões de aposentados e pensionistas do Instituto Nacional de Seguridade Social (INSS) que já pegaram empréstimo consignado.

Na quinta-feira (23), o INSS comunicou que realizará mudanças temporárias nas regras de empréstimos consignados para aposentados e pensionistas. As alterações já foram publicadas no Diário Oficial da União. As novas regras terão vigência enquanto perdurar o estado de calamidade pública em decorrência da pandemia do Coronavírus que até o momento, dura até final deste ano.

As determinações já estão valendo e foram recomendadas pelo CNPS (Conselho Nacional de Previdência Social). As novas regras alteram o prazo para liberação do empréstimo, prazo de carência para cobrança da primeira parcela e o limite para operações com cartão de crédito ampliado.

“O procedimento é realizado todo pela internet e deve conter documento de identificação do segurado e um termo de autorização digitalizado”, disse o Instituto. De acordo com a nova determinação, o limite máximo autorizado no cartão de crédito para o pagamento de despesas feitas com a finalidade de compras e saques foi de 1,4 mil para 1,6 mil, sendo o valor mensal do benefício. Isso quer dizer que para cada R$1.000 de valor de benefício, o segurado pode fazer operações de até R$1.600.

Fonte: Tribuna da Bahia
Comentários
0 Comentários

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Facebook